O meu filho não quer mais ir para a escola, o que eu faço?

Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.

A volta às aulas costuma ser uma época de novidades: alunos, professores e material didático novos, em alguns casos, a etapa de ensino ou a própria escola também são novos. Às vezes, essas mudanças geram insegurança nas crianças, o que leva alguns pais a perguntarem: “o meu filho não quer mais ir para a escola, o que eu faço?”. | + Como educar crianças mimadas


Nesse caso, o primeiro passo é entender o motivo da recusa escolar. Em geral, essas situações acontecem no início das aulas, mas, ocasionalmente, a rejeição à escola acontece ao longo do ano letivo, ou até mesmo ao final dele. Por isso é importante compreender o que leva a criança a não querer ir mais para o colégio.


Fizemos, abaixo, uma lista do que fazer quando a criança não quer mais ir para a escola. Confira:


  1. Identifique os medos

    É comum os adultos julgarem a vida escolar como sendo fácil e tranquila. As crianças, porém, possuem outra visão sobre o assunto. Para elas, a escola é uma espécie de trabalho que exige horas diárias de dedicação. Além disso, o colégio é o ambiente onde é construída parte da vida social dos pequenos, o que pode gerar ansiedade, insegurança, entre outros sentimentos.


    Assim, caso a criança não queira mais ir para a escola é importante identificar quais medos ela tem e o que está gerando insegurança ou insatisfação.

  2. Verifique o contexto escolar

    A vida escolar vai além da dinâmica dentro da sala de aula. A locomoção até o colégio - a pé, de carro, ônibus ou van -, o tempo de espera na frente do portão da escola, o intervalo entre as aulas, entre outras, são situações que criam um contexto em torno do colégio. 


    Na sala de aula pode estar tudo bem, mas não na van ou no intervalo. Por isso, caso a criança apresente resistência, procure saber se ela está sendo bem tratada e recebida no contexto escolar em geral, e não apenas na sala de aula. Converse com a professora e a coordenadora pedagógica. Se for o caso, converse também com o motorista da van ou outros adultos que acompanham a criança em sua rotina de estudo.


  3. Se necessário, diminua a diversão

    Nem sempre a recusa escolar é resultado de uma experiência negativa em sala de aula. Em alguns casos, a criança não quer ir para a escola porque ela sabe que na própria casa há mais brinquedos e diversão. Afinal, é quase desleal a competição entre jogar um videogame no conforto do sofá da sala e ler um livro didático em uma carteira, não? 


    Caso a situação seja essa, converse com a criança e a faça entender a importância de estudar. Se o diálogo não funcionar, pode-se estabelecer uma nova rotina, na qual o tempo de lazer será aumentado de acordo com a frequência e o desempenho escolar da criança.

Como fazer a criança gostar de ir para a escola

Como dissemos, é comum as crianças preferirem jogar videogames ou participar de brincadeiras em vez de estudar. Mas, para que o aprendizado não fique em segundo plano, os responsáveis devem ensinar aos pequenos como a dedicação aos estudos é importante para a vida deles.


Confira, abaixo, onze dicas para fazer o seu filho gostar de ir para a escola.


  • Crie o hábito de estudar Crianças e até mesmo adolescentes dificilmente desenvolvem, por conta própria, o hábito de estudar. Em partes, isso acontece porque eles não dimensionam a importância do estudo para a própria vida. Então, converse com a criança e explique as consequências. Além disso, estabeleça algumas regras, como horas de estudo e a realização das lições de casa.

  • Estabeleça uma rotina Em conjunto com a criança, estabeleça um horário específico para ela fazer a lição de casa e revisar o conteúdo ensinado em sala de aula. Depois que isso for feito, combine que ela poderá brincar ou jogar videogame, por exemplo. Crie uma rotina em que a diversão seja uma espécie de resultado das obrigações cumpridas.
  • Monte um ambiente de estudo É importante que a criança tenha um lugar silencioso e sem distrações para conseguir se concentrar nos estudos. Reserve, então, uma mesa ou até mesmo um cômodo mais afastado para ela estudar. Como o hábito ainda está sendo criado, é importante que o lugar não seja alterado com muita frequência. 
  • Defina objetivos claros Qual é o objetivo exato dos estudos? Defina com a criança alguns objetivos, como passar de ano, e metas, como melhorar o desempenho em alguma matéria, que sejam claros e objetivos. Assim, a criança consegue compreender a necessidade de ter uma rotina de estudo
  • Ajude com o que for necessário

    É comum surgirem dúvidas e inseguranças enquanto se estuda. Por isso, fique disponível para ajudar ou auxiliar a criança, se for necessário. Tire as dúvidas que surgirem e explique alguns conceitos. Se necessário, separe um tempo para revisar o material e rememorar alguns conceitos.

  • Dê leveza para a palavra estudar

    Em geral, a palavra “estudar” é relacionada a um hábito cansativo, que requer dedicação e concentração. Mude, então, a relação da criança com o termo “estudar”. Se for necessário, o substitua por outra palavra, como “aprender”, “praticar”, “memorizar”, entre outras. O intuito é que os pequenos aprendam a adquirir conhecimento e não a estudar apenas para tirar nota na prova.

  • Faça brincadeiras Brincadeiras e jogos educativos conseguem ensinar as crianças de modo divertido e eficaz. Portanto, invista neles para que a criança aprenda também na hora do lazer.
  • Compartilhe suas experiências

    É comum os mais novos se inspirarem nos mais velhos. Por isso, compartilhe as experiências positivas que você teve com a escola ao longo da sua vida. Diga o quão  importante ela foi para a sua realização pessoal ou profissional. Ao final, a criança deve compreender que ir para a escola é um hábito transformador.

  • Seja paciente e cordial

    Como dissemos, dificilmente uma criança ou mesmo adolescente desenvolvem, por conta própria, o hábito de estudar. Tenha em mente, portanto, que esse é um processo que demanda tempo. Por isso, cobranças deverão ser feitas e é comum que os pequenos apresentem resistência. Nesse caso, o importante é ser insistente mantendo a calma e sendo cordial. Afinal, fica difícil a criança conseguir se concentrar se ela estiver irritada ou magoada.

  • Incentive a criança a estudar o que ela gosta Mostre para a criança que ela pode estudar e aprender sobre assuntos que são do interesse dela, além das disciplinas escolares. Por exemplo, uma criança que gosta de desenho pode assistir a tutoriais e ler livros sobre técnicas de desenho. 

  • Encontre uma boa escola

    Uma boa escola é mais do que uma boa infraestrutura ou um grupo de profissionais qualificados. Ela é também um ambiente acolhedor que identifica e desenvolve as potencialidades dos seus alunos.

    Por isso, encontrar um bom colégio é fundamental para que a criança goste de ir para a escola. A plataforma Melhor Escola, especializada em ensino básico, possui um banco de dados com informações sobre todas as escolas do país, com avaliações de alunos, ex-alunos, familiares e professores. Caso você precise de mais ajuda, você pode baixar também o nosso e-book gratuito: Bússola Escolar: O guia definitivo para encontrar a escola ideal para o seu filho