Inteligência emocional infantil: como desenvolver no meu filho?

Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.

Inteligência emocional infantil é um tema que deve ser acompanhado por pais, responsáveis e professores para ajudar no crescimento saudável das crianças em casa e nas escolas. 

Sabemos que a infância é uma fase repleta de descobertas, estímulos e aprendizados para meninos e meninas. Por este motivo, ela pode também ser acompanhada de momentos de frustrações, alegrias e novos sentimentos nas crianças


+ Encontre escolas que incentivem o desenvolvimento socioemocional

+ Veja como conseguir bolsas de estudo para seu filho

Sendo assim, o desenvolvimento da inteligência emocional na infância é importante para garantir que seu filho consiga lidar de forma adequada com ele mesmo e com as outras pessoas. 

O que é inteligência emocional infantil?

A inteligência emocional infantil, como mencionamos, ajuda crianças a terem um comportamento adequado diante das situações e emoções que elas são expostas ao longo dos anos. 

Ou seja, quando a inteligência emocional é trabalhada de forma correta, é possível observar benefícios que vão acompanhar a criança até a fase adulta, garantindo relações sociais mais harmoniosas, criação de vínculos duradouros, autoconhecimento e segurança.

Benefícios da inteligência emocional para crianças

Sem dúvidas, os benefícios mais relevantes da inteligência emocional nas crianças incluem o autocontrole e a capacidade de lidar de forma equilibrada em diferentes contextos. Isso não significa que a pessoa ficará insensível ou passará a reprimir os sentimentos. 

Na verdade, a inteligência emocional vai ajudar a criança a aceitar os fatos, a controlar impulsos e a lidar de maneira mais madura com sentimentos de raiva, euforia, tristeza, medo etc. 

Essa habilidade está relacionada à resiliência e permitirá que seu filho enfrente as situações da vida de forma mais racional, sempre buscando achar soluções para enfrentar os problemas e valorizando os aspectos positivos de determinada experiência.

Vale lembrar que, quando uma criança compreende as próprias emoções e consegue lidar bem com elas, fica mais fácil fazer novas amizades, interagir com os colegas ou enfrentar situações complexas.  

Outro ponto relevante deste tema é que, com o tempo, as crianças desenvolvem mais empatia pelo próximo e passam a entender melhor os sentimentos das outras pessoas, fazendo com que ela desenvolva valores relacionados à solidariedade, à ética e ao respeito. 

Assim, podemos listar 8 benefícios da inteligência emocional para o desenvolvimento infantil:

  1. Favorece o autocontrole nas crianças;

  2. Ajuda no entendimento das emoções e dos sentimentos;

  3. Facilita o diálogo entre pais e filhos;

  4. Cria relações de confiança;

  5. Estimula o respeito e a empatia dos pequenos;

  6. Contribui para o desenvolvimento da autoconfiança;

  7. Favorece a socialização entre as crianças;

  8. Ajuda a criança a ter resiliência em diferentes momentos da vida.

Como desenvolver a inteligência emocional no seu filho?

Algumas recomendações simples podem ser aplicadas no dia a dia por pais e professores para estimular crianças no desenvolvimento da inteligência emocional. Entre elas, as principais são:

  • Permita que a criança se expresse e se comunique.

  • Incentive os pequenos a demonstrarem seus sentimentos.

  • Ensine seu filho a lidar com perdas e frustrações por meio de jogos ou da prática esportiva.

  • Dê o exemplo em casa e evite perder o controle na frente da criança.

  • Respeite as emoções do seu filho.

  • Ensine seu filho a se colocar no lugar do outro.

  • Ofereça carinho e afeto ao seu filho.

  • Evite o excesso de cobranças desnecessárias.

  • Tenha paciência e ofereça ajuda quando necessário.

  • Incentive a autonomia da criança.

  • Saiba valorizar os pontos positivos do comportamento do seu filho.

  • Escute o que seu filho tem a falar.

Certamente, essas atitudes facilitarão o convívio dos pequenos com a família e serão válidas em momentos de conversas difíceis, como no caso de uma morte de algum parente, divórcio dos pais, mudança de cidade, nascimento de um irmão ou outra questão mais sensível. 

Vale lembrar que os pais também precisam colocar limites e saber dizer não aos filhos quando necessário. Afinal, as crianças devem compreender desde cedo que birra e pirraça não são o melhor caminho para resolver os problemas do cotidiano. 

É essencial que elas entendam a importância da paciência e da sabedoria em determinados momentos.