Os benefícios da horta na escola para a educação e a saúde das crianças

À primeira vista, ter uma horta na escola parece algo simples, entretanto, a implementação desse projeto no currículo pedagógico pode trazer diversos benefícios não só para os alunos, mas também para a comunidade onde a instituição está inserida. 


Sua importância é tamanha que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em parceria com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), realiza uma série de projetos nas redes públicas de ensino de diferentes partes do Brasil, com o objetivo de estimular a alimentação saudável, desenvolver habilidades, e ampliar o conhecimento das crianças. 


Dentre os principais pontos positivos da horta escolar, estão:


Desenvolver senso de responsabilidade

Ao mostrar para a criança, desde cedo, que o cuidado que ela tem - ou não - com outro ser vivo está diretamente relacionado ao seu crescimento e desenvolvimento, a escola ensina sobre o senso de responsabilidade. Além disso, a horta trabalha habilidades como colaboração, trabalho em equipe, generosidade e empatia. 


Estabelecer contato com a natureza

Pesquisas mostram que o contato com a natureza promove diversos benefícios como, redução da ansiedade, sensação de bem-estar, e melhor qualidade de sono. Isso se mostra mais importante ainda, em uma geração tão exposta à tecnologia e aos estímulos eletrônicos. Esse estreitamento da criança com a terra, as plantas e outros seres-vivos contribui também para a conscientização sobre os impactos de suas ações no meio ambiente, auxiliando na formação de indivíduos mais conscientes.

+ Educação ambiental nas escolas: por que ela deve ser implementada?

Estimular uma alimentação saudável

Quando a criança participa de todas as etapas do cultivo - desde a plantação até a colheita - a chance dela querer experimentar o alimento, é muito maior. As hortaliças, frutas e alimentos produzidos na horta podem ser utilizados na própria preparação do lanche da escola ou até mesmo nas aulas de culinária, caso façam parte do currículo. Na hora da colheita, os professores podem dividir os alimentos produzidos na hortinha entre os alunos da turma para eles levarem para suas casas.


Aprimorar habilidades motoras e cognitivas

Cavar, plantar, regar, podar, colher, todas essas atividades ajudam a aprimorar a coordenação motora fina - habilidade fundamental para dominar a escrita e evitar a disgrafia, por exemplo. Além disso, a horta na escola é um ótimo jeito de trabalhar o conhecimento de maneira multidisciplinar, aplicando conceitos de matemática, ciências, geografia, biologia, física e química através do cuidado com os vegetais, tubérculos, verduras e plantas. 


A horta na escola e os impactos sociais

Somado aos benefícios citados acima, a ecóloga Lívia Ferreira Neves, Mestre em Sustentabilidade pela PUC-Campinas, explica que a horta escolar gera impactos que ultrapassam os muros da instituição. Segundo Neves, muitos colégios utilizam o resto de poda e de alimentos como adubo, ensinando os seus alunos sobre a compostagem. 


Normalmente, quando a criança tem esse contato com a horta, a família também acaba se interessando e levando o aprendizado para dentro de casa”, conta a especialista. “Então, os pais e as mães começam a cultivar o próprio alimento até para ter o que comer, o que, nesse momento de pandemia, é bem interessante.”


Algumas instituições vão além, implementando um sistema de troca e criando ciclos de comprometimento de responsabilidade ambiental na comunidade do entorno.


Para retirar uma hortaliça ou verdura, a pessoa deve levar uma embalagem pet, por exemplo. O material então, é doado para uma cooperativa local, que fica responsável por reciclar e fazer a destinação correta do lixo. 


Como fazer uma horta?

Geralmente, muitas escolas deixam de fazer uma horta na escola por falta de espaço. De acordo com um levantamento realizado pelo Melhor Escola, apenas 30% das instituições de ensino do Brasil possuem área verde em sua infraestrutura


Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.
É verdade que, quanto maior a área disponível, maior poderá ser a variedade de alimentos cultivados, entretanto, existem soluções alternativas para construir uma hortinha no ambiente escolar. 


Uma delas são as hortas verticais, que podem ser feitas utilizando pequenas caixas de madeira ou até mesmo garrafas de plástico. O importante é inovar!



Quais alimentos cultivar?

Cuidar de uma horta não é fácil e o crescimento dos alimentos dependem muito do espaço disponível. Sendo assim, o indicado é começar com temperos e hortaliças, como manjericão, alecrim, salsinha, hortelã, camomila, e capim-cidreira, pois são mais resistentes e não geram pragas tão facilmente. 


O cultivo de alimentos que não exijam tanto cuidado também evitará que os alunos fiquem desestimulados ou percam o interesse em manter suas plantinhas saudáveis. 


Como podemos ver, a horta escolar não auxilia apenas na aquisição de novos conhecimentos, mas também na promoção de hábitos alimentares mais saudáveis e, principalmente, na formação de indivíduos mais colaborativos, conscientes e empáticos.


Leia também:

+ Educação emocional: o que é e por que é tão importante para o seu filho