A importância da interação social na educação infantil

As habilidades emocionais são importantes para o desenvolvimento saudável de uma criança, isto é, ela deve saber lidar com a frustração e outros sentimentos negativos. Ao mesmo tempo, as habilidades sociais também exercem papel fundamental na formação da criança e devem ser trabalhadas desde cedo. Por esse motivo, é importante a interação social na educação infantil.

 

Para que isso aconteça, a criança deve ter acesso a espaços com diferentes oportunidades de socialização. Nesse contexto, a escola é um ambiente ideal para incentivar a interação entre crianças de realidades distintas, ainda mais nos dias de hoje, em que as famílias têm menos filhos, diminuindo o número de irmãos e primos no convívio da criança.

Leia também:


+ Veja como conseguir bolsas de estudo com o Melhor Escola


Qual a importância das interações na educação infantil?

O teórico sócio-interacionista Lev Vygotsky defende que “a interação social é a origem e o motor da aprendizagem e do desenvolvimento intelectual”. Dessa forma, é preciso que elas sejam estimuladas ao longo da infância, período em que os pequenos estão descobrindo tudo ao seu redor.


Nesse contexto, a escola é um espaço no qual, involuntariamente, as habilidades sociais são praticadas, aprimoradas e testadas. Afinal, ela representa, na maioria das vezes, o primeiro contato das crianças com outras.


Assim, a interação e as amizades têm um papel essencial nessa fase da vida. É por meio da socialização que elas constroem o conhecimento de mundo, passam a se autoconhecer e aprendem a respeitar o próximo.


Além disso, há estudos que mostram que incentivar o desenvolvimento de habilidades sociais nas crianças pode prevenir problemas comportamentais e de aprendizagem.

Quais habilidades sociais podem ser desenvolvidas na educação infantil?

Como vimos a interação na educação infantil é muito importante. Mas, quais habilidades sociais as crianças podem desenvolver? Separamos algumas delas para você ver. Confira:

Cooperação

A capacidade de cooperar é requisitada ao longo de toda a vida adulta de uma pessoa. Por isso, quanto mais cedo ela aprender, mais chances terá de construir relacionamentos sólidos e duradouros. Na vida profissional, por exemplo, a habilidade de trabalhar em grupo é fundamental.

Capacidade de compartilhar

As relações sociais de convivência implicam o compartilhamento de alguns bens e a ajuda mútua entre as pessoas. Por isso, saber dividir o espaço e os objetos é importante. Além de ser gentil e educado, a capacidade de compartilhar é também uma habilidade social valorizada.

Expressão

A interação na educação infantil pode ajudar na capacidade de transmitir ideias e de dizer o que pensa e sente. Isso é fundamental para a construção de diálogos.

Pessoas que conseguem se expressar bem tendem a ter sucesso quando querem incentivar outras pessoas a persistirem por um objetivo comum. 

Respeito

Respeitar alguém é agir de modo empático, cordial e compreensivo com outra pessoa. Ter respeito não significa agir com formalidade, mas com senso de humanidade. As crianças devem aprender que cada pessoa é única, tendo um modo de agir e pensar próprios, não podendo ser desrespeitada por isso.

 

O que a BNCC fala sobre as interações?


Na escola, os educadores e professores sabem que cada criança possui um modo próprio de agir, pensar e se relacionar, afinal, elas são pessoas. Outro fator que faz a escola ser um lugar importante na socialização infantil é o fato dela ser um espaço com várias crianças, já que estudos da área de Educação indicam que uma criança ensina a outra.

 

Atualmente, a educação brasileira valoriza atividades que incentivem o contato e a interação entre os alunos. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), tem entre as suas competências a “Empatia e cooperação” e “Responsabilidade e cidadania”, que prevêem o direito da criança de conviver com outras crianças e com adultos.

| + Você sabe o que é a Base Nacional Comum Curricular (BNCC?)

 

Ainda de acordo com o documento, o processo de humanização passa pelo processo de convivência entre os iguais, ou seja, no caso de uma criança, ela se humaniza quando conhece e convive com a presença de outras crianças

 

A BNCC faz esse destaque porque a relação adulto-criança costuma ser valorizada, já a relação criança-criança, às vezes, é vista como secundária, como se fosse apenas uma companhia para brincar, não para ensinar.

 

Como o professor pode incentivar a interação entre os alunos

O professor deve conduzir as brincadeiras, exercendo o papel de monitor da atividade, não de guia. Para que isso aconteça, uma das possibilidades é organizar o espaço para que as crianças agrupem-se em duplas, trios, quartetos ou como julgarem melhor.

Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.
Nessa etapa da educação, é importante que os professores incluam todas as crianças da turma em todas as atividades feitas ao longo do dia. Essa postura incentiva uma socialização saudável entre os estudantes. Se houver algum aluno com deficiência física ou mental, a escola deve providenciar espaço, material e meios para que essa criança participe das atividades junto com a turma.

Algumas escolas promovem momentos em que alunos de diferentes idades e turmas se juntam para alguma atividade. Ao contrário do que o senso comum afirma, as crianças mais velhas não apresentam riscos para as mais novas, mas sim estimulam os pequenos a se desenvolverem, ao mesmo tempo que adquirem senso de proteção e responsabilidade.

A interação social é apenas um dos pilares para que a criança se desenvolva em todos os aspectos. Para que ela seja incentivada, é necessário que haja uma parceria entre a escola e a família a fim de potencializar as habilidades da criança e fornecer as ferramentas necessárias para o seu bem-estar.