Entenda a diferença entre educação integral e educação em tempo integral

Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.

A educação integral é uma concepção de educação que vem ganhando espaço entre os educadores e despertando o interesse de várias famílias. É importante não confundí-la com educação em tempo integral, que é quando o aluno passa dois turnos do dia dentro da escola. Na formação integral, o intuito é perceber e formar o estudante em diversas dimensões, além do conteúdo ensinado em sala de aula. | + Mindfulness para crianças: entenda o que é e veja dica de exercícios


Na chamada formação integral, há um esforço por parte do colégio em trabalhar o social, o psicológico, o pedagógico e o afeto do estudante; já na educação em tempo integral, a preocupação maior é com o número de horas que a criança ou o adolescente passa dentro da instituição de ensino, independente de receber ou não uma formação integral. 


Qual é o conceito de educação integral?

A educação integral é caracterizada por ser uma formação que trabalha diversas dimensões dos alunos, como física, emocional, intelectual, social e cultural, além de ensiná-los a trabalhar em equipe, preocupando-se com o coletivo. 


A educação integral também tem quatro características, veja quais são elas:


  • Contemporânea: é uma proposta de educação alinhada com as demandas do século XXI, pois pretende formar alunos críticos e autônomos, que sejam responsáveis por si e pelo mundo;


  • Inclusiva: ela reconhece a multiplicidade e a singularidade das pessoas, por isso, ela fomenta a inclusão e a participação de todos e todas no processo de formação da criança ou do adolescente;


  • Equânime: a educação integral reconhece o direito de todas e de todos de aprender, nem que para isso seja necessário criar processos educativos diferenciados e diversificados, que interajam com várias linguagens, recursos, espaços e agentes. Essa característica é central no enfrentamento das desigualdades educacionais, pois reconhece e satisfaz as demandas de crianças que precisam ser educadas a partir de realidades diferentes; 


  • Sustentável: é considerada uma proposta de educação sustentável por ser comprometida com processos educativos que considerem o contexto dos alunos e por realizar uma interação permanente entre o que é aprendido e o que é ensinado.


Porque a educação integral é importante

A formação integral do aluno é importante porque ela trabalha o desenvolvimento da criança e do adolescente de modo que eles tenham relações humanas mais amplas, que sejam capazes de dimensionar o afeto, o bem-estar e os valores dos indivíduos, indo além dos aspectos relacionados à racionalidade ou à cultura do indivíduo.


Nesse contexto, para que a formação integral do aluno seja bem-sucedida, é necessária uma participação ativa da família na promoção dessa consciência ética e moral da criança ou do adolescente. É a partir de situações cotidianas que o estudante consegue reconhecer os próprios direitos e deveres na sociedade em que está inserido.


Assim, cabe à escola promover diversas atividades entre os seus alunos para que eles consigam reconhecer as próprias fragilidades e potencialidades, buscando melhorar no que for preciso. A instituição de ensino deve abordar as múltiplas inteligências dos estudantes para que, no futuro, eles tenham autonomia e autoconhecimento suficiente para fazer boas escolhas.



Qual é a diferença entre educação integral e educação em tempo integral?

A educação integral é um modelo educacional voltado para uma formação completa do estudante, ou seja, é uma educação que valoriza e trabalha diversas dimensões do aluno, como social, emocional, psicológica, além da conteudista e intelectual. | + Puericultura na educação infantil: a atenção integral à saúde da criança na escola 


Já a educação em tempo integral é a educação que prevê a permanência do aluno entre 7h e 9h por dia na escola. Em geral, as escolas em tempo integral oferecem cursos complementares, como música, ginástica, robótica, entre outros, para os estudantes que são matriculados com uma carga horária mais extensa. Isso não significa, porém, que tal escola ofereça o modelo de uma educação integral para os alunos.


O que é educação integral na BNCC?

Algumas pessoas associam a educação integral com a educação em tempo integral, em partes, porque até que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) fosse estabelecida, alguns colégios continham documentos curriculares que faziam essa associação entre tempo expandido de permanência do aluno e educação integral.

| + Você sabe o que é a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)?


A BNCC tem a educação integral e o desenvolvimento global do estudante como um propósito. De acordo com o documento, a educação deve efetivar os princípios da inclusão, da equidade e da diversidade. Além disso, a BNCC contém o texto “O compromisso com a educação integral”, que prevê três pilares para estruturar tal modelo de educação. Os pilares são:


  • desenvolvimento pleno: de acordo com a BNCC, os currículos escolares devem incorporar no seu processo de ensino alguns dos desafios da sociedade contemporânea. Ou seja, a escola não deve se limitar a promover o acúmulo de informações, mas desenvolver nos seus alunos a habilidade de aprender a aprender. Desse modo, eles poderão ter responsabilidade e autonomia para tomar decisões e resolver problemas;


  • Integração curricular: segundo o documento, a educação não deve ser fragmentada, isto é, os conteúdos escolares devem ser ensinados de modo que relações entre eles sejam estabelecidas. Para que isso ocorra, o contexto do estudante deve ser considerado, pois desse modo ele consegue compreender a importância da educação para o desenvolvimento do seu projeto de vida;


  • visão de estudante: a BNCC considera importante a perspectiva e a experiência do estudante no processo de aprendizado. Por isso, a educação deve ser voltada para acolhimento e reconhecimento da singularidade de cada criança, adolescente ou jovem adulto. 


A Base Nacional Comum Curricular prevê a educação integral no que é mais característico e importante de tal modelo educacional, nos pilares, nos valores. Desse modo, a educação integral pode ser incorporada nos currículos escolares e efetivada no cotidiano dos estudantes.


Como encontrar uma boa escola integral

Uma boa escola é mais do que uma boa infraestrutura, ela também precisa ter professores capacitados e motivar os seus estudantes, por exemplo. O Melhor Escola, plataforma especializada em educação básica, indica qual é a escola integral ou em tempo integral mais próxima a você, além de oferecer bolsas de estudos e de mostrar qual é a avaliação de pais, alunos, ex-alunos e professores sobre a instituição de ensino.