Coronavírus: confira 4 atividades para fazer com a criança durante a quarentena

Mudanças repentinas na rotina podem gerar tristeza e ansiedade nas crianças, então listamos algumas atividades para fazer em casa, além de dicas sobre como conversar com elas


A quarentena deve ser um período para que todos fiquem em casa, principalmente as crianças, para evitar a disseminação de casos do covid-19, o coronavírus. Essa medida, por consequência, intensifica o convívio e é uma oportunidade para fortalecer o vínculo familiar.


Nesse contexto, é importante adotar medidas que diminuam tanto o estresse como a ansiedade entre as crianças. Para isso, deve-se, primeiro, deixar claro que não é um período de férias; segundo, é necessário montar, em conjunto, um calendário diário com as atividades que serão feitas ao longo da semana.


Segundo a pedagoga Bruna Duarte Vitorino, os estudos não podem ficar de lado, já que após o período de recesso forçado, as aulas voltarão ao normal


+ Veja 5 dicas para montar uma rotina de estudo em casa
+ Confira qual é a importância do reforço escolar


"Pais que estão trabalhando de casa, no esquema de home office, podem aproveitar para acompanhar a realização da tarefa escolar. Permaneçam no mesmo cômodo, criem uma atmosfera de trabalho que também envolva a criança. Recomendamos também montar um planejamento de estudo e ter um local específico para este momento em casa, se possível um cômodo iluminado, organizado e longe de distrações para que ambos consigam produzir", aconselha Bruna.


Além de pedagoga, Bruna também é coordenadora pedagógica do Kumon, empresa especializada em desenvolver conteúdos de reforço escolar, e ela acredita que esse momento de suspensão temporária das aulas pode ser uma oportunidade para usar o tempo com qualidade


"Aproveite para conhecer melhor os conteúdos que seu filho está estudando na escola. Não é necessário ensinar nada, mas juntos podem ler, conversar e buscar novos conhecimentos. Uma boa dica para organizar os estudos é seguir o cronograma escolar, nos dias de cada matéria procurar revisar os conteúdos e buscar se aprofundar por meio de vídeos no Youtube e pesquisas na internet", acrescenta a pedagoga.


Dicas de atividades para fazer em casa: 

Há famílias, porém, que não sabem quais atividades fazer, exatamente. Pensando nisso, a pedagoga listou algumas atividades que podem ser feitas em casa, confira:


1. Contação de história

Reforça os laços com os seus filhos além de estimular o gosto pelos livros. Escolha um conto e proponha a leitura em conjunto, cada um lê uma parte. Dê liberdade para interpretar e incorporar vozes aos personagens e ao narrador, assim a ocasião se torna mais divertida.


2. Desenhar e estimular a escrita

A atividade é ótima para aguçar a criatividade, conhecimento, concentração, além de ajudar na coordenação motora. Separe desenhos para colorir e contornar, que contenham letras do alfabeto e números, por exemplo.


3. Jogos de memória e concentração

Jogos são sempre divertidos, estimulam a coordenação motora e o raciocínio lógico. Faça brincadeiras em grupo como: quebra-cabeça, dominó, dama, xadrez, palavras-cruzadas, jogos de adivinhação, vôlei, futebol, entre outros.


4. Jogo de conhecimentos gerais

Adedonha!, Adedanha! ou Stop! é uma brincadeira simples e muito comum entre as crianças e até mesmo entre adultos. "É só desenhar uma tabela em tópicos em um papel para cada jogador. Cada coluna da tabela recebe o nome de uma categoria de palavras como animais, automóveis, nomes pessoais, cores etc., e cada linha representa uma rodada do jogo", explica a pedagoga.


Coronavírus: descubra como falar com as crianças

As crianças não fazem parte da população mais frágil ao coronavírus. Elas, porém, podem estar vulneráveis ao sentimento de ansiedade, estresse e tristeza, resultado de mudanças repentinas na rotina ou preocupação com o que vêem e escutam sobre o assunto.

Pensando nisso, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) enumerou 8 dicas sobre como conversar com as crianças sobre o coronavírus, confira:


  1. Faça perguntas abertamente e ouça a criança;
  2. Seja honesto(a): explique a verdade de uma forma que a criança entenda;
  3. Mostre à criança como proteger ela mesma e seus amigos;
  4. Ofereça segurança;
  5. Verifique se elas estão sendo estigmatizadas ou espalhando estigmas;
  6. Procure quem pode ajudar;
  7. Cuide de você;
  8. Encerre as conversas com cuidado.


Além de conversar com as crianças, o UNICEF recomenda que sejam adotadas medidas para garantir o direito de aprender, seja tornando as escolas em ambientes mais seguros, seja oferecendo alternativas, caso as escolas sejam fechadas.


Assim, o reforço escolar feito em casa também é destacado como sendo uma medida importante a ser tomada pelas famílias. Em relação às crianças, é possível que elas achem difícil entender o que estão vendo online ou na televisão - ou ouvindo de outras pessoas. 


“Por isso, ter uma conversa aberta e cuidadosa com as crianças pode ajudá-las a entender, lidar e até dar uma contribuição positiva para os outros", defende Florence Bauer, representante do UNICEF no Brasil.


Leia mais:
+ Metodologia de ensino: veja quais são as mais utilizadas no Brasil
+ Avalie a escola que você estuda ou estudou