Sala de Aula Invertida ou Flipped Classroom

Já imaginou se a sala de aula desse uma cambalhota e os papéis fossem invertidos? Veja porquê este método de ensino tem ganhado cada vez mais força no Ensino Básico.


Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.

Você já ouviu falar em sala de aula invertida ou flipped classroom? Este é um método de ensino que começou nas universidades dos Estados Unidos em 2007, com os professores Jonathan Bergman, Karl Fisch e Aaron Sams e que se espalhou pelo mundo desde então. No Brasil, é mais comum ser aplicado no ensino superior, mas também vem ganhando espaço na educação básica.

 

O que é a sala de aula invertida?

Como o próprio nome sugere, a sala de aula invertida inverte a lógica de organização da sala de aula. Na metodologia tradicional de ensino, o conteúdo é transmitido pelo professor presencialmente e, nas suas casas, os alunos aprofundam a matéria aprendida através da lição de casa e leituras. Já na sala de aula invertida, os estudantes leem o conteúdo da aula previamente e, junto à turma, analisam o tema estudado, através de debates e conversas mediadas pelo professor.

Como funciona?

A sala de aula invertida é um método de ensino híbrido que combina aprendizado on-line e presencial, misturando momentos em que o aluno estuda sozinho - através das tecnologias da informação (TICs) - com outros em que o aprendizado acontece de forma presencial, pela interação com colegas e professores. Dessa forma, o método visa aproveitar ao máximo o que cada recurso tem a oferecer.


+ Matemática será o foco do PISA 2021: veja como os games podem ajudar alunos



Este método de flipped classroom tem sido explorado cada vez mais pelas escolas de ensino básico, visto o interesse e a interação cada vez maior da nova geração com as tecnologias disponíveis, como vídeos, podcasts, videogames e textos. A ideia é que o aluno absorva o conteúdo através de plataformas digitais e, ao chegar na sala de aula, já esteja ciente do que será abordado. 

 

Neste sentido, o ambiente escolar passa a ser, mais ainda, local de interação entre professores e estudantes e entre os pares, debatendo o tema proposto através de diálogos, debates e na realização de projetos e atividades em grupo.

Na sala de aula invertida, o aluno, que antes consumia o conteúdo ensinado pelo professor, agora se torna protagonista no processo de aprendizado, e o educador fica responsável por mediar a conversa, esclarecer o material e analisar os comportamentos dos estudantes perante as atividades. 

 

Os 4 pilares da sala de aula invertida

Segundo a Flipped Learning Network - organização não-governamental criada com intuito de divulgar e capacitar educadores interessados nas práticas da sala invertida - este método de ensino baseia-se em quatro pilares, definidos pela siga FLIP, em inglês. 

 

  1. Ambiente flexível (Flexible Environment)
    Por mesclar o ensino on-line e o presencial, a sala invertida possibilita uma série de formatos de aprendizado. O professor cria espaços adaptáveis em que o aluno escolhe quando e como aprendem, tornando o processo de aprendizagem mais flexível.

  2. Cultura de aprendizagem (Learning culture)
    Nos métodos tradicionais de ensino, o professor é a fonte primária de conhecimento e informação. Ao transferir o foco para o aluno, o tempo de aula é gasto aprofundando os tópicos e criando mais oportunidades de aprendizado. Dessa forma, o estudante passa a ter uma participação ativa na construção do conhecimento, além de avaliar o seu aprendizado.

  3. Conteúdo intencional (Intentional content)
    Ao ensinar, os educadores pensam em como utilizar o modelo FLIP de ensino para auxiliar os alunos a desenvolver uma compreensão conceitual. Como assim? Na sala de aula invertida, o estudante é incentivado a adquirir conhecimento que vai além de fatos isolados, estabelecendo conexões entre esses fatos de maneira organizada. Adquirir uma compreensão conceitual colabora também para uma maior retenção do conhecimento.

  4. Educador profissional (Professional educator)
    A primeira vista, o papel do professor na sala de aula invertida pode parecer menos importante do que no método tradicional de ensino, porém, este pensamento é equivocado. No modelo FLIP, o educador assume papel de mentor e mediador, fornecendo feedback relevante e construtivo para os seus alunos, além de refletir sobre a qualidade do seu trabalho no processo de aprendizado. 

Quais os benefícios da sala de aula invertida?

Esta metodologia de ensino possui uma série de vantagens para os alunos. Dentre elas, podemos destacar:


  • Maior absorção do conteúdo

Já dizia o filósofo Sêneca “Ensinando, aprende-se”. Essa afirmação é defendida por diversos educadores e parte do princípio de que, ao ensinar, o aluno guarda o máximo de informação possível para apresentá-la aos outros e sintetiza tudo aquilo que aprendeu ao utilizar as suas próprias palavras.

 

Além disso, a prática da sala de aula invertida diminui as chances do aluno decorar apenas momentaneamente o conteúdo das aulas.

 

  • Mais autonomia

A mistura entre o ensino híbrido e o presencial, exige que o aluno busque conhecimento por si mesmo e aprenda a procurar por respostas e soluções, desenvolvendo assim o seu senso de autonomia e responsabilidade.

  • Otimização do tempo

Em uma aula expositiva normal, os professores levam um tempo para explicar todo o conteúdo e, além disso, podem haver interrupções em caso de dúvidas, o que torna o tempo de aula apertado.


No método de sala invertida, o conteúdo disponibilizado previamente é otimizado e permite que o aluno pesquise caso tenha alguma dúvida. A sala de aula então, se torna um momento focado no diálogo e na troca de conhecimentos entre os estudantes. Ademais, o professor pode utilizar o tempo de maneira mais produtiva e inclusiva, propondo atividades práticas que exploram e aprofundam o tema abordado.

 

  • Maior interação na sala de aula

O diálogo estabelecido entre os alunos torna-os muito mais engajados e participativos na sala de aula. Essa é uma grande vantagem do modelo de sala invertida, uma vez que também trabalha a comunicação e a capacidade de interação dos estudantes.

 

É importante ressaltar que apesar dos benefícios promovidos por este método, é extremamente necessário que haja um um bom planejamento dos professores no preparo dos alunos. Quando bem aplicada, a sala de aula invertida pode ser uma excelente maneira de atingir bons resultados e contribuir com a melhoria da qualidade de ensino das escolas.

Quer saber mais sobre outros metodologias de ensino existentes no Brasil? Confira aqui.