Material escolar: veja dicas para comprar mais gastando menos

Confira algumas dicas de como economizar com a compra do material escolar e quais são os seus direitos


O começo de ano é época de volta às aulas e também de fazer compras de material escolar. Por isso, nada melhor do que definir algumas estratégias para economizar e, de quebra, comprar mais gastando menos.

 

Afinal, todos querem comprar os itens da lista, mas sem gastar muito, não é mesmo? 

 

Então, listamos abaixo algumas atitudes que vão te ajudar a cumprir esse objetivo, confira:



+ Matrícula escolar: veja o que a escola pode ou não exigir
+ Como escolher uma boa escola para estudar? 


1. Verifique os itens que você já possui

Na correria do dia a dia nem sempre é possível  verificar os itens que já temos em casa. Por isso, dedicar um tempo a listar os itens que já se tem evita uma compra desnecessária.

 

2. Faça duas listas

Separe a lista de itens entre os essenciais e os secundários. Desse modo, fica fácil perceber o que deve ser priorizado caso precise gastar mais. 

 

Por exemplo: lápis e cartolina. Imagina-se que o lápis será mais utilizado pelo aluno do que a cartolina, por isso, vale a pena investir mais no primeiro do que na segunda. 

 

3. Compre com antecedência

No começo e na metade do ano é comum ter um aumento no preço dos materiais escolares, pois é quando o ano letivo ou o novo semestre estão prestes a começar. 

 

Como a lei da oferta e da procura não costuma falhar, a dica é se antecipar e comprar quando a procura não costuma estar em alta. Em geral, um mês de antecedência é um bom período.

 

4. Compre em grupos

Uma estratégia que vem se popularizando é a compra conjunta de materiais. Vários pais montam um grupo para comprar, por exemplo, 50 cadernos, estojos e canetas.

 

 Assim, o valor unitário diminui, pois prevalece a lógica do atacado, segundo a qual quanto mais se compra, menos se paga. 

 

As diferentes redes sociais e aplicativos já popularizaram grupos de pais da escola. Então, por que não aproveitar os contatos para economizarem juntos?

 

5. Pesquise na internet

Em alguns casos, é mais barato comprar pela internet do que na loja física. Existe o valor do frete, é verdade, mas alguns sites oferecem fretes grátis quando se gasta mais do que determinado valor. 

 

Além disso, há a comodidade de receber o que se precisa em casa. Aproveite também o universo online e compare preços em sites especializados, assim você garante que está pagando o menor preço.

 

6. Compare os preços

Essa dica é antiga, é verdade, mas continua atual. Pesquise em três ou quatro estabelecimentos diferentes, anote os preços de cada material para comprar o item no que estiver mais em conta. 

 

Nem sempre é necessário deslocar-se grandes distâncias para fazer essa pesquisa. Em muitos casos, papelarias e outras lojas que vendem materiais para escola ficam próximas, de modo que a pesquisa de preço pode ser feita em poucas horas. 

 

Além disso, ao ir com uma lista no estabelecimento, otimiza-se o tempo na procura pelos itens.

 

7. Reutilize

Por que comprar um estojo novo se o atual ainda está em bom estado? E lápis de cor, por que comprar uma caixa nova se os que se têm ainda podem ser usados? 

 

Reutilizar os materiais que estão em bom estado é uma das principais maneiras de economizar sem deixar de ter qualquer item da lista.

 

8. Evite os personagens

Nem sempre o material com a embalagem mais bonita ou que traz algum personagem é o de melhor qualidade.

 

Isso porque eles costumam ser os mais caros por serem licenciados, o que gera custo para o fabricante.

 

O importante é que itens como colas, tintas e pincéis possuam data de validade e informações sobre as condições de armazenamento, composição, quem é o fabricante e se apresentam algum risco ao consumidor.

 

9. Conscientize a criança sobre a escolha

Em muitos casos, as crianças acabam escolhendo os materiais por causa de personagens, da cor, ou por outro motivo, mas sem levar em consideração o preço.

 

 Por isso, converse com ela antes, explique o quanto de dinheiro pode ser investido nesse momento e a motive a conseguir os itens da lista dentro do orçamento disponível.

 

 Afinal, se a criança é quem vai usar o material, é importante ela ficar feliz com a compra. Deixá-la em casa sem participar desse momento pode gerar frustração com os itens comprados e, futuramente, uma outra compra, gerando mais gasto.

 

Dicas sobre os seus direitos

O Procon, órgão responsável por zelar pelo Direito do Consumidor, chama atenção para algumas práticas que são consideradas abusivas e, por isso, não podem ser feitas. São elas:

  • Na lista de materiais não pode constar itens de uso coletivo, como papel higiênico ou produtos de limpeza;
  • Despesas como água, luz, telefone e impressão não podem ser incluídas;
  • A escola não  pode exigir que a compra seja feita em determinado estabelecimento ou nela própria, caso ela comercialize alguns itens;
  • O colégio só pode exigir exclusividade quando o material didático utilizado for apostilas.


Saiba mais
+ Descubra se a escola em que você quer estudar oferece bolsa
+ Avalie a escola que você estuda ou estudou
+ FAQ Melhor Escola