Confira 7 dicas de filmes e desenhos infantis que abordam o racismo

Entenda como a representatividade negra na cultura infantil influencia na construção da identidade da criança e na formação de uma sociedade mais equitativa.


Na última semana, uma onda de manifestações contra o racismo e a violência policial tomou conta das ruas de diversos países ao redor do mundo. Os protestos surgiram após a divulgação do vídeo da morte do americano George Floyd, homem negro de 46 anos, asfixiado por um policial branco em Minneapolis. 


A violência constante contra os negros gerou comoção também na internet, com as publicações de fotos com fundo preto, acompanhadas pela hashtag #BlackLivesMatter - “Vidas Negras Importam”, em português - levantando a necessidade de promover conversas sobre o racismo estrutural e a representatividade dos negros na sociedade.


Casos como o de João Pedro, da menina Ágatha e de George Floyd nos mostram o quanto o racismo ainda está presente e a importância de refletir sobre os privilégios, a iniquidade e desigualdade existente não só no Brasil, mas no mundo. 




Importância da representatividade cultural na construção da identidade

Ao longo do desenvolvimento da criança, existem diversos aspectos que influenciam não só em sua formação intelectual e cognitiva, mas também socioemocional. A representatividade, neste caso, tem papel fundamental na construção da identidade de uma criança, ou seja, no modo como ela se vê representada nos referenciais que recebe ao longo de sua formação.


Quando falamos em referenciais, estamos falando da experiência social na esfera pública - na educação recebida, no convívio familiar e também na cultura. Bonecas, livros, personagens, personalidades, filmes, músicas e desenhos, tudo isso ajuda a construir o repertório dos pequenos e impacta direta e indiretamente no seu desenvolvimento e autoestima. 


Vale ressaltar que o modo como este referencial é retratado na cultura influencia a forma como vemos o mundo e como nos enxergamos perante à ele; se o referencial for positivo, ele só tende a agregar, se for negativo, reforçará estereótipos já existentes na sociedade. 

+ Educação Especial Inclusiva: quando a diversidade resulta em inclusão + Saiba como lidar com o comportamento das crianças na quarentena

Dicas de filmes e desenhos infantis que abordam o racismo

Pensando então na importância dos filmes e desenhos na construção da representatividade, fizemos uma lista de sete produções - brasileiras e internacionais - que possuem negros como protagonistas e que abordam o racismo. Confira: 

    1. Vista a minha pele, Joel Zito Araújo & Dandara
      Este curta, é uma paródia que aborda o racismo e o preconceito na sala de aula de forma educativa. O filme inverte os papéis da história, mostrando os negros como a classe dominante e brancos como escravizados. No cenário midiático, os negros são as referências de beleza da sociedade. 



    1. Dúdú e o Lápis Cor da Pele, Miguel Rodrigues
      O curta produzido pelos brasileiros Miguel Rodrigues e Cleber Marques ganhou o prêmio de “Best Narrative Short Film Award” no London Arthouse Film Festival. O filme relata a história de Dúdú, um menino negro de 7 anos que, após ouvir a sua professora de artes usar o termo “lápis cor da pele” durante uma aula de artes, fica confuso pois a cor da sua pele não condiz com a do lápis. Dúdú passar a carregar o lápis, procurando por alguém que se enquadraria nesse padrão de cor de pele e tentando entender a sua própria identidade.




    2. Bino e Fino, Adamu Waziri
      Esta produção nigeriana tem ganhado cada vez mais destaque nas TVs de todo o mundo. Bino & Fino narra a trajetória de dois irmãos gêmeos que vivem na África subsaariana que, ao lado de sua amiga, a borboleta Zeena, vão descobrindo aspectos diferentes sobre o mundo, a vida e a história do continente onde moram. Um desenho animado lindo, que aborda o preconceito e o racismo de maneira leve e divertida.

      A versão dublada do desenho pode ser vista aqui.


    3. ANA, Vitória Felipe dos Santos
      Mais um curta metragem brasileiro, “ANA”, retrata a história de Ana, uma menina negra que não se reconhece como negra, e Jeannette, professora refugiada que sente dificuldades em se adaptar ao Brasil. Vítimas de racismo e preconceito, elas descobrem juntas um modo de transformar a si mesmas.




    4. Nação TVE,
      O Nação TVE é um programa semanal de TV produzido pela emissora pública do Rio Grande do Sul (TVE) e transmitido em rede nacional pela TV Brasil. Focado no protagonismo negro, o Nação aborda temas relacionados à história, à cultura e à diáspora africana. O episódio abaixo, especificamente, mostra a importância da formação étnica das crianças negras e como a representatividade influência no empoderamento das mesmas. 


    1. Cores e Botas, Juliana Vicente
      Cores e Botas fala sobre Joana, uma menina negra nos anos 1980 que, assim como muitos meninas, sonha em ser Paquita. Porém, naquela época não existiam paquitas negras. Apesar de serem de uma família de classe média, Joana e sua família se sentem deslocados em relação ao meio social em que vivem, composto em sua maioria por brancos.



    2. Disque Quilombola, David Reeks
      Um curta-documentário de 13 minutos que retrata a vida de crianças que moram no Espírito Santo e conversam de um jeito descontraído sobre como é o dia a dia em uma comunidade quilombola. Por meio de uma brincadeira infantil - o telefone sem fio - os dois grupos falam de suas raízes, das semelhanças e diferenças encontradas de suas infâncias.




    Os exemplos que são apresentados na vida das crianças trazem à tona várias questões que merecem ser discutidas, incentivando uma conversa sincera e aberta sobre preconceito. Ao mostrar para os pequenos filmes e desenhos infantis que abordam o racismo é uma forma de ser ponte e de colaborar para a construção de uma sociedade antirracista e equitária. 

    Leia também: + Leitura para crianças: veja os benefícios e saiba como incentivar o hábito de ler