Menu fechado

Veja como lidar com a violência nas escolas

Infelizmente, é cada vez mais comum vermos na mídia casos de violência nas escolas. Apesar de serem divulgadas situações mais extremas, o clima de tensão, normalmente, se faz presente no ambiente escolar sem que a diretoria, setor administrativo ou outros responsáveis percebam com antecedência. 

Existem diversos tipos de violência nas escolas, desde situações entre os alunos até ocasiões que envolvem estudantes e colaboradores. Agressões físicas, verbais e psicológicas são formas de violência escolar.

A maioria dessas agressões são desencadeadas por diversos fatores, como:

  • racismo, 
  • questões de gênero, 
  • intolerância religiosa, 
  • ações de ódio.

A instituição de ensino nunca deve ser vista como um ambiente de perigo e que ofereça ameaças à comunidade. Além disso, a violência nas escolas leva ao isolamento social, intimidação e até furtos em um espaço exclusivo para aprendizado. 

Vale ressaltar que o meio virtual pode englobar atos assim, então vale criar campanhas que atinjam não apenas o entorno físico, como o online também. O bullying pode ser um dos desencadeadores dessas ocorrências, mas não é o único. 

O incentivo à violência nas escolas pode vir da vida pessoal de um aluno ou mesmo colaborador. Por isso, é importante que toda a comunidade escolar coopere para enfrentar esse tipo de situação. 

Dicas de como enfrentar a violência nas escolas 

1) Fale sobre o assunto 

Manter um diálogo aberto sobre o tema é um dos principais recursos. Trate a violência escolar de maneira rotineira na sala de aula, incrementando tópicos às disciplinas. 

Também podem ser feitas palestras e atividades extracurriculares que abordem o assunto, como por exemplo eventos direcionados ao debate que falem sobre cultura de paz na escola.

A conscientização deve ser trabalhada com fatos. Apresente dados numéricos às discussões, além das consequências. As propostas de resolução devem cultivar valores como respeito e empatia, além da comunicação ser assertiva.

Adolescente isolada de amigos na escola. Ela está sofrendo bullying, um tipo de violência escolar.

2) Conte com o apoio familiar

A família precisa estar atenta aos sinais de violência, seja por parte da vítima ou do agressor.

Outro ponto que envolve essa relação é a necessidade de um ambiente familiar saudável. Muitas vezes, a violência nas escolas é derivada de uma família desestruturada. 

3) Crie normas efetivas

É válido que regras para combater a violência escolar sejam regulamentadas dentro da instituição. Esse tipo de conteúdo deve estar sempre visível para os alunos, colaboradores e familiares. 

Trabalhe com a divulgação dessas normas, tanto virtualmente quanto no espaço físico. Espalhe cartazes sobre o tema pelo colégio e não deixe de falar sobre nas redes sociais.

4) Proponha atividades interativas

Crie interações entre os estudantes, entre os colaboradores e também aquelas que unem ambos os públicos. 

Uma ideia é utilizar a expressão artística e cultural para falar sobre a violência nas escolas, através de clubes de leitura, cinema ou grupos de estudo. O esporte também pode ser usado a favor do debate sobre o tema. 

5) Trabalhe a saúde mental de forma paralela 

Garanta que as pautas relacionadas à saúde mental estejam em dia, afinal, esse assunto não deve ser trabalhado apenas em setembro. 

A presença de um psicólogo na instituição é essencial. Falar sobre o futuro, por exemplo, pode ser um meio de trazer os alunos para esse foco.

6) Ofereça acolhimento às vítimas 

O acolhimento de vítimas deve ser efetivo e contar com atendimento psicossocial, ou seja, ter um psicólogo e um assistente social em operação. Lembre-se que a mediação de conflitos deve ser feita antes da violência ser estourada, e que reconstruir relações é o primeiro passo para contornar situações problemáticas.

Ao seguir essas dicas acima, o cenário de violência nas escolas será menos provável na sua realidade. Cultive sempre uma cultura de paz e respeito, como uma forma de evolução constante para aqueles que frequentam o espaço.

Publicado em:Ambiente Escolar

Post relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *