Menu fechado

Sala de aula invertida: como implementar a metodologia na sua escola?

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida é uma metodologia de ensino que traz resultados bastante positivos para o aprendizado dos alunos. Diferentemente do modelo tradicional, que coloca o professor como o centro das atenções,ela prioriza o protagonismo dos alunos. 

Essa metodologia é eficaz porque permite que as crianças se desenvolvam e participem mais ativamente das tarefas. Para isso, a escola deve explorar os recursos tecnológicos, os canais digitais de comunicação, os jogos educativos, entre outras opções para tornar o ensino mais envolvente. 

Como funciona a sala de aula invertida?

Na sala de aula invertida, o professor oferece um tema para o aluno estudar sozinho. Após isso, ele abre espaço para discussões e reflexões em sala de aula. Geralmente, o primeiro contato do aluno com o assunto é feito de forma introdutória pelo professor. 

Já o aprofundamento acontece por meio de troca de conhecimentos entre os alunos. Assim, essa metodologia tem funcionado bastante no contexto atual das aulas híbridas, em que os estudantes se dividem entre o ambiente presencial e online.

O objetivo principal da sala de aula invertida é ampliar as possibilidades de aprendizado. Dessa forma, abre-se espaço para o aluno expressar suas opiniões, dúvidas e experiências com os colegas. 

O professor, por sua vez, não fica limitado a trabalhar apenas com cadernos e livros didáticos. Assim, ele pode criar atividades com videoaulas, jogos, podcasts, pesquisas, trabalhos em grupo e outras alternativas importantes para o desenvolvimento estudantil.

Quais são as vantagens da sala de aula invertida para alunos e professores?

A sala de aula invertida, além de estimular a participação dos alunos, também aumenta o interesse dos jovens em temas importantes para o processo de aprendizagem.

Além disso, essa metodologia desenvolve  autonomia nas crianças e adolescentes. Assim, estimula-se o senso crítico, melhora a criatividade e a capacidade de resolver problemas. 

Para os professores, os benefícios incluem:

  • Otimização do tempo;
  • Aumento no engajamento dos alunos;
  • Mais produtividade em sala de aula;
  • Debates importantes entre os alunos;
  • Uso das novas tecnologias no ensino;
  • Mais satisfação dos pais com a escola.

Como implementar a sala de aula invertida na minha escola?

Como foi explicado, a sala de aula invertida foge do conceito tradicional de que o professor é o detentor do conhecimento. Assim, ela acaba com a ideia de que o aluno precisa memorizar os conteúdos. 

Nessa metodologia, o processo de aprendizagem tem um significado muito mais amplo para alunos e professores. Portanto, confira abaixo 4 dicas para implementar a sala de aula invertida:

1- Explore a criatividade dos alunos

Uma dica importante para ter sucesso com a aplicação da sala de aula invertida é inovar e não ficar preso aos modelos tradicionais. Vale a pena, por exemplo, intercalar aulas expositivas com aulas tradicionais. 

O professor pode selecionar temas para serem trabalhados pelos alunos e pedir que eles tragam abordagens diferentes sobre o conteúdo. Como por exemplo, vídeos, memes, apresentações teatrais ou simplesmente rodas de conversa.

2- Aborde temas atuais e interessantes para os estudantes  

Os professores também devem sempre incluir no planejamento das aulas assuntos que tenham relação com as disciplinas e com o contexto atual dos estudantes. 

Dessa forma, é importante oferecer materiais complementares aos alunos, como artigos, vídeos, filmes, e estar atento ao desenvolvimento individual de cada estudante.

3 – Crie atividades dinâmicas

Para evitar a falta de motivação e a monotonia nas aulas, o professor deve investir em atividades dinâmicas e envolver os alunos nas atividades. Os exercícios precisam contribuir para a interação da turma e fortalecer a comunicação dos alunos.

Evite o excesso de aulas expositivas, que acabam sendo mais cansativas, e busque novas opções para tornar o dia a dia dos alunos mais produtivo.

Outra recomendação é, sempre que possível, sair um pouco do ambiente escolar e explorar outros locais que possam ampliar o contato dos alunos com o mundo. Passeios a museus, parques, locais históricos, centros de pesquisa e projetos sociais são bastante interessantes para as crianças.

Depois das visitas, o professor pode separar a turma por grupos e pedir que façam apresentações para os colegas. Os alunos também podem trazer exemplos de casa ou sugerir formas divertidas para a troca de conhecimento.

Envolva a família nas atividades

Para garantir bons resultados com a sala de aula invertida, a equipe pedagógica também precisa incluir a família nessa metodologia. Portanto, a escola pode promover reuniões ou enviar comunicados explicando as vantagens desse método e a sua importância para o rendimento dos alunos. 

Os responsáveis devem ser aliados da escola e incentivar os alunos a estudarem em casa. Desse modo, essa parceria faz total diferença para o rendimento escolar.

Quer ver outras dicas sobre práticas pedagógicas e conhecer as estratégias mais usadas nas escolas do país? Faça parte do Clube dos Diretores, a maior comunidade de gestores educacionais do Brasil! Clique aqui e saiba mais!

Publicado em:Ambiente Escolar
Post relacionado
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *