Pedagogia tradicional: confira como é o método de ensino mais comum do Brasil

O método tradicional chegou ao Brasil no final do século XIX, desde então ele é o mais difundido nas escolas brasileiras


O ensino tradicional foi um dos primeiros métodos de ensino surgidos na história recente, por isso recebe o nome “tradicional”. Para o entendermos melhor, devemos compreender o momento histórico em que ele se consolidou.

A sua origem foi no século XIX, sendo criado com o intuito de universalizar a educação para alfabetizar e qualificar a população para exercer alguma profissão.

Destacamos e respondemos as perguntas mais comuns sobre esse método de ensino, confira:


+ FAQ Melhor Escola
+ Avalie a escola que você estuda ou estudou

O que é o ensino tradicional?

O ensino tradicional foi criado com o intuito de universalizar o conhecimento entre a população. Por ter um intuito massificador, ele tem uma estrutura mais rígida e fechada à inovação, sendo alvo de críticas de educadores por causa disso.


Uma escola que adota a linha tradicional parte do princípio que um aluno crítico e criativo é resultado de uma bagagem de conhecimentos adquiridos. Desse modo, o aluno não é considerado um sujeito ativo no processo de aquisição de conhecimento, mas alguém que deve aprender com o professor, este sim, figura central no processo de ensino e aprendizado.


Por isso, as aulas costumam ser expositivas - quando o professor expõe o conteúdo para todos os alunos de um mesmo modo -, com bastante teoria e exercícios para reforçar e sistematizar a memorização do conteúdo.


Desse modo, o professor acaba atuando como um guia que tem a função de transmitir conhecimento. No ensino tradicional, as provas e as avaliações acontecem de tempo em tempo, tendo o objetivo de analisar o quanto de informação o aluno conseguiu memorizar.

Em geral, se enquadram nesse modelo escolas que preparam o aluno para o vestibular desde o início do currículo escolar. 

Quais são as características do método tradicional de ensino?

A pedagogia tradicional possui alguns conceitos sobre a escola, os conteúdos ensinados, a metodologia utilizada, a relação entre o professor e o aluno, entre outros. Listamos abaixo os principais, confira:


  • Função da escola: fornecer uma formação tanto moral como intelectual, preparando o aluno para o convívio em sociedade. Nesse caso, o interesse é a manutenção da sociedade como ela é. Além disso, o colégio enfoca a cultura, já os problemas sociais ficam a cargo da sociedade, em geral.


  • Conteúdos ensinados: são os conteúdos já consolidados nos meio científico, sem que haja espaço para contestações por parte do aluno. Isso porque a pedagogia tradicional não leva em consideração o conhecimento prévio do estudante, não havendo, então, possibilidade de que ele conteste o conteúdo ensinado, pois eles deve  ir para escola para aprender.


  • Metodologia de ensino: as aulas são expositivas, isto é, o professor faz uma exposição verbal do conteúdo, além de passar exercícios para auxiliar o aluno na memorização do que está sendo ensinado. Assim, há uma dinâmica em que o professor explica o conteúdo, passa exercícios e, ao final, relaciona o tema com outros assuntos.


  • Relação entre o professor e os alunos: há uma hierarquia bem definida nessa relação, sendo o professor a autoridade que deve ensinar. Além disso, o silêncio, imposto pelo docente, deve ser constante na sala de aula. Os alunos devem obediência ao docente e às regras da escola, sendo punidos caso desobedeçam.



Como é uma escola tradicional?


Uma escola com pedagogia tradicional caracteriza-se por ter uma hierarquia rígida, na qual o diretor é a autoridade máxima do colégio, seguido dos coordenadores e dos professores, devendo o aluno obediência a todos estes. Por isso, não há espaço para a contestação de decisões tomadas pela administração do colégio.


Ao estudante, cabe aprender a disciplina de modo metódico e organizado, por meio de ordens e recomendações. Além disso, o aluno também é incentivado a desenvolver espírito de trabalho. O material didático costuma ser conteudista, ou seja, com muitos textos e conhecimentos fragmentados que, muitas vezes, não se relacionam.


É o caso, por exemplo, das disciplinas que nem não costumam ser ensinadas de modo integrado. Essa fragmentação de disciplina faz com que cada uma seja ensinada por um professor diferente, dificultando que se estabeleça conexões entre elas. Além disso, o processo de ensino é dedutivo, ou seja, vai do abstrato para o concreto, do geral para o particular. 


Já as avaliações têm o objetivo de medir o quanto de informação o aluno conseguiu decorar. Assim, o conceito de ensino é o de transmissão de conhecimento do professor para o aluno, quase sempre feito de com instruções e conteúdos já prontos, onde cabe ao aluno memorizar e acumular o que foi passado em sala de aula.


No Brasil, a imensa maioria das escolas adota a pedagogia tradicional. Existem outros métodos de ensino, mas estes costumam ser menos difundidos, principalmente nas rede pública de ensino.