Itinerários formativos e o Novo Ensino Médio: o que você precisa saber

Itinerários formativos e o Novo Ensino Médio: o que você precisa saber


A Lei nº 13.415/2017 altera as Diretrizes e Bases da Educação Nacional e propõe uma reforma do ensino médio, que traz modificações drásticas no cotidiano dos estudantes brasileiros. Dentre as principais mudanças, estão o aumento da carga horária e a reorganização da estrutura curricular.


Segundo o Ministério da Educação (MEC):


“A mudança tem como objetivos garantir a oferta de educação de qualidade à todos os jovens brasileiros e de aproximar as escolas à realidade dos estudantes de hoje, considerando as novas demandas e complexidades do mundo do trabalho e da vida em sociedade”.


A taxa de evasão escolar no ensino médio supera 12%. Além disso, os três últimos anos da educação básica também estão abaixo da meta estipulada pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), que é o principal indicador da qualidade do ensino básico no Brasil.


Esses dados indicam que o desempenho da educação brasileira é insatisfatório e que transformações no meio se fazem necessárias. Mas antes de saber mais sobre as mudanças que, segundo o MEC, serão a solução para esse problema, é preciso entender alguns pontos:


O que são as Diretrizes e Bases da Educação Nacional


A Lei de nº 9.394 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional determina que o sistema de ensino brasileiro seja composto pela educação básica e superior. A educação básica é constituída pela educação infantil, ensino fundamental e médio.


O que é a BNCC


A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é o documento que rege todo o conteúdo ensinado nas escolas brasileiras tanto públicas quanto privadas de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. A Base busca orientar o currículo escolar estabelecendo conhecimentos, competências e habilidades que se espera que os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica.


E o que muda, afinal de contas?


Itinerários Formativos


Um dos pontos mais polêmicos da reforma é a criação dos itinerários formativos, que são conjuntos de disciplinas, projetos, oficinas e outros trabalhos que os estudantes irão realizar nas escolas. Os alunos poderão optar por uma área do conhecimento para dedicarem seus estudos, sendo elas:


  • Matemática e suas Tecnologias;

  • Linguagens e suas Tecnologias;

  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias;

  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas;

  • Formação Técnica Profissional (FTP).



Algumas disciplinas ainda serão obrigatórias durante os três anos do ensino médio, como a língua portuguesa e matemática. Além delas, a Lei de Diretrizes Básicas também inclui o inglês, educação física, arte, sociologia e filosofia no currículo nacional.


O Ministério da Educação afirma que os sistemas de ensino poderão escolher quais itinerários formativos irão ofertar de acordo com processos que envolvam toda a comunidade escolar.


Ainda segundo o MEC, as escolas poderão ofertar outros idiomas além do inglês, preferencialmente o espanhol.


Aumento da carga horária


Atualmente, a carga horária do ensino médio é de 800 horas por ano. Com a reforma, a carga passará a ter 1.000 horas anuais até o ano de 2022. 


Período integral


Com o novo ensino médio e o aumento da carga horária, mais escolas possuirão período integral. O Plano Nacional de Educação estabeleceu que, até 2024, pelo menos 25% das matrículas da educação básica serão para o ensino em tempo integral.

 

Profissionais com notório saber


Os profissionais com notório saber poderão dar aulas para o ensino técnico. Esses profissionais, na verdade, são pessoas que não possuem formação para se tornarem professores, no entanto, possuem grande conhecimento para realizar tal feito. 


O MEC afirma que esses profissionais deverão ser reconhecidos pelas escolas para ministrar conteúdos de áreas afins à sua formação ou experiência profissional. Além disso, eles também precisam ser atestados por titulação específica ou prática de ensino em unidades educacionais da rede pública ou privada ou das corporações privadas em que tenham atuado.


ENEM


Com essa reforma, também será necessário que o ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio) seja atualizado. As mudanças no exame vão acontecer a partir do ano de 2020, e segundo o MEC, ela será gradual e deverá se adequar à BNCC.


O Novo Ensino Médio deve ser implementado em 2020, de maneira gradativa. É fato que as mudanças vão gerar grande impacto na vida dos estudantes, no entanto, o tema divide opiniões e merece ser analisado com atenção, uma vez que poderá ser um grande marco na educação brasileira.