Escolas Bilíngues no Brasil

Afinal, o que são escolas bilíngues? Entenda como funciona, quais são as suas vantagens e encontre escolas próximas à você.


Já foi o tempo em que ter fluência de um segundo idioma - especialmente o inglês - era um diferencial. Atualmente, isso se faz necessário e mais do que um simples diferencial, ter domínio de outro idioma é quase uma exigência do mercado de trabalho.


A cada ano novas escolas bilíngues são inseridas no mercado e diversos pais e alunos se interessam pelo modelo educativo que pode ser uma boa saída para o domínio de dois idiomas. De 2014 para 2019, o mercado bilíngue cresceu aproximadamente 10% segundo a Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (ABEBI). Quer saber como a educação bilíngue funciona na prática? No post de hoje vamos explicar um pouco mais sobre essas instituições que praticam o bilinguismo, como é o dia a dia dos alunos a importância que falar dois idiomas tem no desenvolvimento da criança.


+ Método Montessori: veja a história e os princípios do método de ensino


O que são?

Escolas bilíngues, como o próprio nome sugere, são instituições de ensino que dividem sua grade curricular em dois idiomas. Ou seja, além da língua materna, os alunos também estudam um idioma secundário. 


Esses colégios trabalham as mesmas disciplinas de escolas convencionais, seguindo as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). No entanto, o que os difere das demais é que o segundo idioma se torna o meio pela qual a instrução das matérias são aplicadas. Isto é, nessas instituições são trabalhados disciplinas como história, geografia e matemática, mas todo o conteúdo é aplicado em uma língua estrangeira. 


Geralmente, as escolas bilíngues iniciam suas aulas por volta de fevereiro, pausam em julho e encerram em dezembro conforme o padrão de ano letivo das escolas brasileiras. Entretanto, a maioria das escolas bilíngues estendem o período das aulas para integral ou semi-integral.


Qual a diferença entre escolas bilíngues e escolas internacionais?

Dúvidas sobre a diferença entre uma escola tradicional e uma escola bilíngue são comuns, e uma das principais distinções entre elas está na forma com que os idiomas e a didática são trabalhados. Em escolas estrangeiras o currículo de ensino utilizado é o do país alvo, e não o currículo brasileiro. Além disso, o idioma estrangeiro é predominante e a língua portuguesa é a secundária, sendo pouco utilizada. 


Outras diferenças também podem ser notadas, como o período de aulas - por exemplo, o início do ano letivo é em agosto. Essas instituições também costumam ter uma porcentagem de docentes nascidos no país de origem do colégio. Além disso, todo o material didático e até mesmo o boletim escolar é entregue no idioma trabalhado na escola em questão.


As escolas estrangeiras surgiram por uma necessidade de atender os estudantes descendentes de famílias de outras nacionalidades que buscavam maiores vínculos com a cultura e metodologia de seus países de origem. Atualmente, nesses colégios há uma grande diversidade de alunos estrangeiros e os estudantes convivem em uma atmosfera intercultural.

+ Educação Especial Inclusiva: quando a diversidade resulta em inclusão


O modelo internacional costuma ser buscado também por pais e alunos que planejam dar continuidade aos estudos em outros países, uma vez que a aceitação desses estudantes em universidades estrangeiras é muito grande. 


Alguns colégios internacionais são credenciados pelo IB (International Baccalaureatte Organizattion / Organização Internacional de Bacharelado). Essa certificação facilita o acesso dos estudantes nas universidades estrangeiras, pois é aceita em mais de 140 países.



Vantagens e desvantagens das escolas bilíngues

Assim como tudo, existem pontos positivos e negativos relacionados a educação bilíngue. Dentre as vantagens em estudar em escolas bilíngues estão:

  • Assimilação do segundo idioma
    O tempo está em posição de destaque, uma vez que os alunos aprendem o novo idioma ao mesmo tempo que aprendem o conteúdo padrão das escolas convencionais.

  • Habilidades de aprendizagem
    As escolas bilíngues defendem que o aprendizado de seus alunos é maior do que em cursos específicos de idiomas, pois eles aprendem a segunda língua de forma natural e prática, chegando mais rapidamente à fluência.

  • Oportunidade de empregos
    Outra vantagem para os alunos dessas escolas é a maior facilidade para a continuação dos estudos ou carreira internacional. Além da fluência, o conhecimento sobre a cultura e familiaridade podem ser de grande auxílio no futuro desses estudantes fora do território nacional.

  • Aptidões intelectuais e sociais
    Além de aprender e dominar uma língua estrangeira com mais naturalidade, crianças que crescem com uma educação bilíngue desenvolvem certas habilidades, como: raciocínio, capacidade de organização e concentração, aberta para novas experiências. 


No entanto, o ensino bilíngue também recebe críticas. Uma das principais desvantagens apontadas é a defasagem no conteúdo nacional. Alguns especialistas defendem que ao colocar os filhos em escolas bilíngues, os pais podem arriscar fazer com que a criança não absorva de fato o conteúdo aplicado, pois encontrará dificuldades na comunicação.


 A coordenadora do programa bilíngue do Colégio Batista Mineiro, Rita de Cássia Miranda, afirma que “Para a criança, é tudo muito bê-á-bá. Ela escreve ‘late’, por exemplo, mas precisa ler ‘leit’. Isso pode acabar confundindo-a em relação ao português”. Outro ponto que direciona críticas ao modelo, é a possibilidade de distanciamento da própria cultura. Críticos das escolas bilíngues afirmam que ao introduzir uma cultura internacional aos alunos, a cultura brasileira seja desvalorizada e deixada de lado.



A importância do bilinguismo no desenvolvimento infantil

Independente de ser por meio de uma escola bilíngue ou não, dominar um segundo idioma é essencial para a boa formação do indivíduo e ainda abre portas para diversos caminhos. Uma pessoa bilíngue têm acesso à melhores cargos e oportunidades de emprego, além de ter mais chances de conquistar oportunidades em outros países. Além disso, dominar dois idiomas proporciona uma formação cultural mais rica, permitindo maiores perspectivas e transformações na forma de ver - e viver - a vida.


Quanto custa a mensalidade de uma escola bilíngue?

A oportunidade de proporcionar uma educação bilíngue para as crianças, empaca, quase sempre, na questão do preço. O valor médio de uma mensalidade em uma escola bilíngue varia entre 2,5 mil e 5 mil reais. O que você talvez ainda não saiba é que, no Melhor Escola, é possível encontrar uma boa escola, próxima da sua casa e que ofereça bolsas de estudo em escolas bilíngues.

Ficou interessado? Clique aqui e faça a sua busca!


Leia também: + Veja as 10 melhores escolas particulares de São Paulo no Ensino Infantil + Metodologia de ensino: veja quais são as mais utilizadas no Brasil