Descubra a idade ideal para aprender inglês

Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.


Se antigamente falar inglês era uma exceção, hoje, dominar o idioma é praticamente um pré-requisito para quem deseja encontrar um bom emprego, viajar, ou até mesmo estudar no exterior. Sendo assim, investir no aprendizado do seu filho se torna essencial para o seu crescimento estudantil e profissional. Mas, afinal, qual é a idade ideal para aprender inglês?

Muitos familiares não sabem ao certo quando colocar o filho em uma escola de idiomas e se, de fato, essa é a melhor opção. Por isso, no post de hoje, vamos esclarecer as dúvidas com relação ao aprendizado do inglês e o melhor caminho para que a criança desenvolva a habilidade de falar uma língua estrangeira. Confira!


Qual é a melhor idade para começar a aprender inglês?

A resposta para essa pergunta é um tanto controversa. Enquanto alguns especialistas afirmam que quanto antes a criança começar a aprender inglês, melhor, outros acreditam que o desenvolvimento de outras habilidades na primeira infância é prioridade. 


Um estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), realizado em 2018 com mais de 500 mil pessoas, mostra que a idade ideal para aprender inglês com facilidade é até os 18 anos de idade. Entretanto, especialistas sugerem que para ser fluente, a idade ideal é até os 10 anos.


“Se você quer ter um conhecimento nativo da gramática inglesa, deve começar por volta dos 10 anos de idade. Não vemos muita diferença entre as pessoas que começam no nascimento e as pessoas que começam aos 10, mas começamos a ver um declínio depois disso ”, afirma Joshua Hartshorne, professor assistente de psicologia que conduziu a pesquisa.


Dúvidas frequentes com relação à idade ideal para aprender inglês 

Existem diversos mitos ao redor da aprendizagem de uma língua estrangeira quando a criança é pequena, selecionamos os dois principais, veja:

  1. Estudar inglês na infância atrapalha o aprendizado e a alfabetização  da criança
    Muitos pais acreditam que aprender duas línguas ao mesmo tempo durante a primeira infância pode atrasar o processo de alfabetização da língua-materna, no caso, o português.

    Tal pensamento não é verdadeiro, pelo contrário. Aprender outro idioma pode estimular o desenvolvimento de habilidades cognitivas da criança e sua capacidade em reconhecer diferenças e semelhanças entre sons, e manipular a fala.

  2. A criança pode esquecer o idioma
    Uma das justificativas para não colocar as crianças desde cedo no inglês é o receio de que ela esqueça o idioma ao longo dos anos, desperdiçando o investimento feito pelos familiares.

    De fato, a falta de contato e de prática pode causar o esquecimento, entretanto, em um mundo cada vez mais globalizado e hiperconectado, as chances disso acontecer são bem menores.

    A quantidade de programas disponíveis em inglês e outros idiomas, como jogos de videogame, canais no YouTube e Netflix, além do maior acesso à livros escritos na língua inglesa permitem que a criança e os adolescentes mantenham contato com o idioma por mais tempo.


Vantagens em aprender inglês desde cedo

Como os especialistas disseram, a idade ideal para aprender inglês vai até os 18 anos, entretanto, a exposição ao idioma desde a infância pode maximizar o domínio e a fluência da língua estrangeira. 

A
pronúncia correta das palavras também pode ser aprimorada através do contato precoce com o idioma, sendo uma das habilidades mais difíceis de adquirir. 

Além disso, outros benefícios podem ser adquiridos quando a criança começa a estudar inglês na infância, como:

  • Ampliação do vocabulário;
  • Melhora as habilidades de interpretação e compreensão;
  • Estimula a memória, o raciocínio lógico e linguístico;
  • Desenvolve capacidades de comunicação e expressão;
  • Aumenta as chances de oportunidades profissionais.

Inglês na escola, em curso de idiomas ou aula particular?

Com a aprovação da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em 2017, o ensino de inglês passa a ser obrigatório a partir do 6º ano do Ensino Fundamental. Isso não quer dizer que as escolas não podem apresentar o idioma nas etapas anteriores, pelo contrário, a implementação da língua estrangeira no currículo é incentivada. Entretanto, as aulas são ministradas apenas uma ou duas vezes na semana, tornando o aprendizado mais lento.

Hoje em dia, há diversas escolas bilíngues ao redor do Brasil. Diferente das instituições tradicionais, todo o conteúdo acadêmico e situações do dia a dia acontecem em inglês e portuguêsPor conta do contato intenso desde cedo, as crianças acabam dominando o idioma com maior facilidade, sendo uma grande vantagem.

Outra opção são os cursos de idiomas. É comum que os pais matriculem os filhos em escolas de idiomas, a fim de reforçar o que é aprendido nas aulas do colégio. Nestes casos, vale fazer uma boa avaliação da qualidade do ensino e ver se a escola trabalha as habilidades de listening (escuta) e speaking (fala), essenciais para que a criança se torne fluente.

Há também as aulas particulares. Este formato é uma ótima forma de trabalhar dificuldades específicas e pontuais da criança. Além disso, a criança e o adolescente podem aprender inglês no seu próprio ritmo, o que nem sempre é possível nas salas com mais alunos.


Independente da idade, o ideal é aprender

Não importa a idade do seu filho, o importante é que ele aprenda a falar inglês. Atualmente, o idioma é o mais falado no mundo todo e, diferente de alguns anos atrás, saber se comunicar na língua inglesa é praticamente um pré-requisito nos dias de hoje.

Para se ter uma ideia, um levantamento feito pela British Council, em 2019, revelou que 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês. Contudo, somente 1%, é fluenteEntão, dominar o idioma não é apenas uma forma de aumentar as chances do seu filho no mercado de trabalho nacional e internacional, mas é oferecer também a oportunidade de viver outras experiências como estudar fora e viajar. 


Leia também:
+ Escolas Bilíngues no Brasil
+ Método Montessori: veja a história e os princípios do método de ensino