Método Montessori: veja a história e os princípios do método de ensino

O método Montessori tem o objetivo de desenvolver a autonomia da criança, dando a ela liberdade no processo de aprendizado


Receba dicas e conteúdos exclusivos para a educação do seu filho.

Obrigado por se cadastrar. Em breve você receberá nossos conteúdos no seu e-mail!

Ops! Algo deu errado. Por favor, confira seus dados e tente novamente.

O método de ensino Montessori foi desenvolvido pela médica e pedagoga Maria Montessori na Itália, em 1907. Abaixo, vamos explicar quando surgiu o método, como funciona uma escola montessoriana.

 

Método Montessori: história e conceito central

A pedagogia Montessori foi desenvolvida pela médica e pedagoga italiana Maria Montessori (1870-1952), que foi também a primeira médica mulher formada na Itália.


 + FAQ Melhor Escola

+ Avalie a escola que você estuda ou estudou
 

Na faculdade, ela observou que as crianças com deficiência mental, que até então eram consideradas ineducáveis pela sociedade, tinham um bom desenvolvimento quando recebiam uma educação que desenvolvesse a coordenação motora e respeitasse a autonomia de cada uma. Posteriormente, ela abrangeu os estudos para as demais crianças.

 

Por isso, um conceito central na pedagogia montessoriana é que o ser humano nasce com capacidade para autoeducar-se, nesse sentido, cabe à escola permitir que a criança conduza o próprio aprendizado. Nas palavras de Maria Montessori, é o princípio do “ajude-me a agir por mim mesmo”. Assim, cabe ao professor desenvolver a autonomia dos alunos no processo de aprendizado.

 

Como é uma escola montessoriana?

A escola montessoriana pretende desenvolver a autonomia do aluno, com ênfase nas suas habilidades físicas, sociais e psicológicas. Por isso, há um importante processo de observação por parte do professor, que primeiro deve identificar as potencialidades e os limites dos estudantes.

 

Maria Montessori foi uma grande crítica do modelo de sala de aula tradicional, em que os alunos possuem lugar definido e um único professor ensina vários estudantes ao mesmo tempo, desconsiderando as particularidades de aprendizado deles. 

 

Por isso, em uma escola montessoriana, a sala de aula possui crianças espalhadas, tanto sozinhas como em pequenos grupos, concentradas em exercícios. Já o professor fica em meio aos alunos, auxiliando no que for preciso ou observando. 

 

Além disso, não existe recreio, já que a pedagogia montessoriana não diferencia o lazer da atividade didática. Também, nessas escolas, não há um único livro com texto, pois os estudantes aprendem a pesquisar nas bibliotecas ou na internet, construindo um repertório teórico de modo autônomo, orientados pelo professor.

 

Nas salas de aulas, o espaço é construído e organizado para permitir que as crianças façam movimentos livres, possibilitando a elas desenvolver tanto a coordenação motora como a iniciativa pessoal. Isso porque no método montessoriano a atividade sensorial e motora são essenciais no processo de ensino e aprendizado.

 

Afinal, a pedagogia de Montessori não enfoca apenas no conteúdo, mas também na forma de adquirir conhecimento e de se relacionar com o mundo. Assim, há um estímulo para que as crianças exerçam a curiosidade natural de tocar e manipular o que estiver ao seu alcance.

 

A médica e pedagoga Maria Montessori afirmava que, na infância, o abstrato passa pelo concreto, isto é, a criança precisa conhecer o mundo pelas mãos e pelos movimentos para conseguir interpretá-lo. Por isso, o professor deve chamar a atenção dos alunos para algumas características dos objetos, por exemplo, a forma, o tamanho, o cheiro, o barulho, a forma. 

 

Qual é o objetivo do Método Montessori?

Um dos principais objetivos do método Montessori é desenvolver a autonomia do aluno no processo de aprendizado. Por considerar a criança um ser humano completo, que precisa ser devidamente orientado, o método montessoriano enfoca na liberdade da natureza do indivíduo.

 

Para isso, o método se baseia em seis princípios, são eles:

 

1. Autoeducação: 

O aluno deve aprender sozinho, sem grande interferência de adultos. Isso parte do princípio de que há confiança nas crianças para que elas aprendam por conta própria e os professores devem respeitar esse processo.

 

2. Educação cósmica:

Esse princípio parte da ideia de que tudo está interligado, portanto as áreas separadas se tornam abstratas, de modo que todo conteúdo possui algum vínculo com outro conteúdo. Esse pensamento busca despertar nos alunos o interesse pelo mundo e pelo universo.

 

3. Educação como ciência: 

Esse princípio tem o foco no observação do estudante, já que todo o processo de ensino é baseado na observação feita pelo professor para que ele possa orientar devidamente o aluno. Por isso, enquanto os alunos “brincam”, o adulto os observa e analisa os seus atos.

 

4. Ambiente preparado:

O ambiente é propício para que as crianças tenham liberdade e autonomia. Além de objetos ao alcance das crianças, o espaço de aula é minimalista, isto é, contém apenas o necessário para o desenvolvimento das atividades. 

 

5. Adulto preparado:

A função do adulto é observar os alunos e intervir somente quando for necessário. A principal regra desse princípio é nunca fazer pela criança aquilo que ela pode fazer sozinha. O adulto preparado é aquele que, ao observar o estudante e os seus atos, percebe as possibilidades de fazer com que ele aprenda.

 

6. Criança equilibrada:

Uma criança concentrada é uma criança em equilíbrio. É importante que não haja a interrupção de um adulto neste momento. Além da concentração, esse tópico também envolve o bem-estar do aluno. O equilíbrio um princípio chave para o pensamento montessoriano, pois é a partir dele que o processo educacional se desenvolve.

 

 

Quantas escolas no Brasil usam Método Montessori?

Segundo a Organização Montessori do Brasil (OMB), cerca de 45 escolas utilizam o método Montessori no Brasil. A maioria desses colégios estão na região sudeste e sul. 


Quer saber se tem alguma escola montessoriana perto de você? Confira a lista das escolas Montessori feita pelo Melhor Escola.

 


Leia mais:

+ Metodologia de ensino: veja quais são as mais utilizadas no Brasil

+ Literatura infantil: a importância de um mundo leitor inclusivo para as crianças