Encontre a escola

Busque informações sobre séries, etapas de ensino, escolas e preços.

Garanta a bolsa

Pague a pré-matrícula e garanta a bolsa até o fim da etapa de ensino.

Economize a cada etapa de ensino

Você garante a bolsa com o menor preço e matricula o aluno na melhor escola

Cadastre a sua escola

Rede privada

Escola Arte é Saber

  • Rua Da Rodagem, S/N- Tairu, Vera Cruz - Bahia

5.0

Fantástico

8 Avaliações

Matriculando

Aulas Online

Escola Parceira
Até 30% de desconto com mensalidades a partir de R$252.00

Ano letivo

Série desejada

Tem dúvidas em relação às bolsas?


Ver detalhes das bolsas

Qual a mensalidade da Escola Arte é Saber?

Os valores por etapa de ensino são a partir de:
Educação Infantil

(10 alunos)

Valor da mensalidade cheia

A partir de

R$360.00

Valor com o Melhor Escola

A partir de

R$252.00

Educação Infantil

(10 alunos)

Valor da mensalidade cheia

A partir de

R$360.00

Valor com o Melhor Escola

A partir de

R$252.00

Ensino Fundamental I

(70 alunos)

Valor da mensalidade cheia

A partir de

R$370.00

Valor com o Melhor Escola

A partir de

R$259.00

Ensino Fundamental II

(59 alunos)

Valor da mensalidade cheia

A partir de

R$450.00

Valor com o Melhor Escola

A partir de

R$315.00


Sobre a Escola Arte é Saber

Proposta pedagógica


1. HISTÓRICO A ESCOLA ARTE É SABER está situada na Rua da Rodagem, S/N, na localidade de Tairu, Vera Cruz, Ilha de Itaparica, no estado da Bahia. A fundação e funcionamento da escola ocorreram em 03 de março de 1996 e desde então, a mesma tem uma excelente interação com o bairro na qual está inserida. De lá prá cá, o bairro Tairu cresceu, surgiram pequenos estabelecimentos comerciais como: mercados, padarias, academia, clínica médica odontológica e hoje é um bairro bastante habitado e frequentado por turistas que procuram Vera Cruz para veranear. Em 1996 quando fundada, ofereceu os cursos de Educação Infantil e Ensino Fundamental (1ª e 2ª série), nos anos posteriores, ampliou o fundamental, atendendo de 1ª a 4ª série. No ano de 2005, implantou o Ensino Fundamental, passando a atender de 1ª a 8ª série. Em 2009, iniciou a implantação da organização do Ensino Fundamental de nove anos com o acesso de alunos de seis anos, passando atender ano e séries até 2016. Em 2017, findou-se séries e passa a atender do 1º ao 9º ano. À proporção que os anos passam, a Escola Arte é Saber vem crescendo como instituição de ensino e adquirindo a credibilidade da população veracruzense por oferecer uma educação de qualidade. Caracteriza-se ainda, por ser uma escola voltada para os princípios éticos e morais, oferecendo uma estrutura física adequada às necessidades relacionadas ao processo de ensino e aprendizagem. 


2. PROJETO POLÍTICO Partindo do pressuposto de que a ação pedagógica é imprescindível no processo ensino-aprendizagem e compreendendo que a escola possui identidade própria, que se constitui sob a influência da sua realidade local. A construção do Projeto Político Pedagógico (PPP) é peça fundamental no planejamento das instituições de ensino em seus vários níveis e modalidades. É o PPP que irá demonstrar o que a escola idealiza, quais suas metas e objetivos e quais os possíveis caminhos para atingi-los. O mesmo deve assumir a responsabilidade de fazer avançar as propostas pedagógicas, no sentido de tornar a escola um espaço real de formação do cidadão e de contribuição para a transformação social. Nesse sentido, a proposta da escola Arte é Saber, fundamenta-se em concepções construtivistas e sociointeracionistas numa visão dialética como forma de entender o processo de desenvolvimento cognitivo dos indivíduos. Pensamos em um projeto, no sentido de realizar ações concertadas e eficazes para conseguir a escolarização de todos os alunos, oferecendo uma educação mínima de qualidade a todos eles e melhorar e ampliar a qualidade e eficiência do sistema educativo. O Projeto Político Pedagógico da Escola Arte é Saber, assume a responsabilidade de fazer avançar a proposta pedagógica, tornando a escola um espaço real de formação do cidadão e de contribuição para a transformação social. E por acreditar que a grande tarefa dos educadores na atualidade é desenvolver as potencialidades do aluno, tomamos como ponto de partida o respeito por suas necessidades especiais e seus saberes construídos, estimulando seu pensamento e raciocínio para que possam transferir aprendizagens de uma situação a outra, usando os conhecimento em vários contextos. Nesse sentido, esta escola, prioriza dentre outros aspectos, garantir a qualidade do ensino e o fortalecimento da Escola, visando oferecer ao aluno o acesso a uma aprendizagem eficaz, buscando assegurar o exercício pleno da cidadania. Nota-se que os alunos da Comunidade Escolar, na sua grande maioria são filhos de marisqueiros, pescadores, pedreiros, funcionários públicos, educadores e pequenos comerciantes, que se defrontam com vários impedimentos, mas que persistem em oferecer aos filhos possibilidades para um futuro promissor. Assim, o processo ensino-aprendizagem é conduzido a partir de ações que valorizam os conhecimentos que os alunos já possuem, estimulando o aprender a aprender. Todos os planos de ação e práticas pedagógicas desenvolvem-se em função dos alunos e a partir das dificuldades identificadas, comunicadas aos pais em reunião com professores, para que se encontrem entendimentos para soluções em conjunto. A gestão pedagógica elabora um cronograma para atender as crianças com aulas de reforço ou acompanhamento individual. A equipe de gestão pedagógica e os professores compartilham sugestões e registram os avanços que são apresentados através de relatórios. A Escola tem adotado metodologias ativas e atualizadas para educar com o intuito de contribuir na formação de uma sociedade mais humana e democrática. As metodologias e estratégias utilizadas no processo ensinoaprendizagem tem surtido efeitos positivos como: melhoria na aprendizagem dos alunos, redução na reprovação, a presença ativa de pais na escola, respeito à individualidade e o ritmo de cada aluno, respeito às etnias, dando devida atenção aos negros, brancos, pardos, como também alunos com necessidades especiais, garantindo a ludicidade, a valorização dos conhecimentos pré formados, oficinas de leituras e escrita, oficinas de matemática, além dos projetos como: Leitura e Escrita, Arte, Consciência Negra, Cuidados e Preservação da Água, Resgate da Cultura Nordestina, dentre outros... 


3. ESPAÇO FÍSICO, INSTALAÇÕES, EQUIPAMENTOS A estrutura física do prédio da Escola Arte é Saber é toda construída em alvenaria num terreno que mede 670 metros quadrados. Toda área pertencente à escola é protegida com muro em alvenaria. A estrutura escolar é determinante para um bom funcionamento de uma escola, pois sem uma boa estrutura, não se pode esperar um bom funcionamento, e mesmo que venha a se ter o bom funcionamento a organização da estrutura escolar implicará na qualidade da educação. O Prédio escolar constitui uma área construída de 550 metros quadrados. 


4. EIXO NORTEADOR DA ESCOLA: FUNÇÃO SOCIAL ONDE ESTÁ INSERIDA De acordo com nossa Filosofia Educacional, a Escola está inserida num contexto, cuja finalidade é ministrar a Educação Básica (Educação Infantil e Ensino Fundamental de 1º ao 9º ano) de acordo com os princípios da Lei 9394/96, 6744/95, dec. nº 31.122/86 e as normas dos respectivos Sistemas de Educação. Nesta perspectiva, consolidamos teoricamente nossa proposta através da escrita de Vygotysk e Piaget e demais educadores que contribuem e contribuíram para que o pensamento educacional fosse mais comprometido com esse Projeto Político. Queremos aprimorar modelos, métodos, técnicas para que as ideias dos autores citados sejam mais eficazes. Contribuiremos para que o professor aumente suas condições de questionar e construa maneiras concretas de transformar a realidade, escolha procedimentos, dandolhes significado social e força para o crescimento dos alunos. Se pensarmos a educação escolar como parte de um processo de construção da pessoa e, mais, de uma sociedade, pensaremos numa escola onde o planejar está além dos conteúdos, pois está numa perspectiva de construção de uma realidade, através da transformação da realidade existente. Para atingir os objetivos educacionais, planejamos atividades que oportunizem contato direto, como: visitas de estudo a museus, feiras, lugares históricos e turísticos para que sejam desenvolvidos o método científico, a cidadania e a sensibilidade através de atividades de caráter artístico (teatro, dança, artes, música, coral, construção do gosto poético, literário); Participação em campeonatos de modalidade desportiva; Formação de jovens ativos, envolvidos com as questões da comunidade, campanhas; Estimular a solidariedade. Todas as atividades são importantes para a formação da cidadania e do caráter do aluno e são planejadas através de projeto. Temos, portanto, como função social, a ação voltada para o psicológico, o social e, principalmente, o cognitivo que é a principal finalidade da escola. 


5. VALORES E MISSÃO DA ESCOLA  VALORES Diante das transformações e produções humanas, numa sociedade tecnológica faz-se necessário desenvolver no aluno a percepção de valores das ciências sociais, apurando o sentido de coletividade e de cooperação. Proceder a análise dos fazeres humanos identificando aspectos éticos, estéticos, morais, políticos e econômicos envolvidos na produção científica e tecnológica. A construção do sujeito de relações e de comunicação, a construção do sujeito histórico, ético, consciente e de responsabilidade social, que assegure ao aluno a formação indispensável para o exercício da cidadania.  MISSÃO Oferecer serviços educacionais de qualidade que consigam capacitar os seus alunos, para uma vida em sociedade, ou seja, transformando-os em cidadãos responsáveis, e que acima de tudo sejam seres pensantes e críticos da realidade e da sociedade que vivem. 


6. MARCO DOUTRINAL DA ESCOLA 6.1 Visão de mundo e de homem O mundo, no qual vivemos é complexo da mesma forma que são complexas as diferentes maneiras de compreendê-lo e situar-se nele, como sujeito num tempo social histórico que pelas dinâmicas da vida social é múltiplo, diverso, controverso e contraditório. Nesse contexto, buscar entender a teia das relações e sua dinâmica constitui-se uma necessidade vital para o cidadão e uma tarefa imperiosa para a escola realizar no plano de seus objetivos e finalidades formativas. Assim, o avanço da ciência, o desenvolvimento da tecnologia e a ampliação das fronteiras econômicas e comerciais de forma globalizada, atravessam os portais deste século, convidando à sociedade a resolução de grandes problemas que são também decorrentes do próprio curso de desenvolvimento experimentado pelas civilizações em todas as áreas do conhecimento, no mundo ocidental, nas últimas décadas. Tais questões já indicam a necessidade premente de que sejam revistas, no plano da formação, determinadas orientações que até então vinham definindo modelos e práticas de formação cultural e profissional. A velocidade com a qual essas transformações se processaram, na atualidade, nos colocam neste novo século com outra necessidade, qual seja, a de pautarmos nossas referências não somente naquilo que o passado nos ofereceu como garantias ou tradições em termos de valores e heranças culturais. Nesse sentido, a vida moderna nos pede a mobilização de recursos e a realização de práticas e ações que se organizem focadas nas múltiplas exigências do contexto “local” em estreita articulação com o “global”, face às novidades tecnológicas, as descobertas científicas, os novos modelos e paradigmas teóricos, a reorganização do cenário sócio-político-econômico que se configura e de forma mais particular, a reorganização da educação nacional sob a égide das reformas educacionais e das múltiplas funções, atribuições, papéis e competências a serem objetivadas pela educação formal. Além disso, quanto mais as sociedades contemporâneas avançam na produção de conhecimentos científicos e tecnológicos, maiores se tornam os desafios para aproximar e/ou diminuir a distância entre o homem, o conhecimento e a informação. Neste cenário, o homem é um ser histórico, criador de culturas, produtor de conhecimentos, construtor de novas interpretações de conhecimentos, sendo, portanto, agente ativo e transformador da sociedade e das relações que são estabelecidas. A partir de suas qualidades, talentos e necessidades criamse e recriam-se situações, visando melhorias de qualidade de vida sempre em comunhão com seus semelhantes. De acordo com (Chalita, 2004, pp.02): “O ser humano está sempre em busca da felicidade. É complexo porque o ser humano é único, genial, é especial e aprende e ensina, evolui e cresce. No entanto, ele não se satisfaz com qualquer coisa. É mutável. É imprevisível. De qualquer forma, quando consegue canalizar seu potencial, o bem de suas obras é fantástico”. 6.2 Visão da Sociedade Pensar em sociedade é partir do pressuposto que o homem só existe em convivência com outros grupos, que é permeado por objetivos e regras comuns, intenções colhidas por um todo que serve a um único propósito, a sua sobrevivência. As regras e os preceitos que são construídos, no pensar coletivo, são fundamentais para o surgimento de diferentes culturas, que por sua vez, são responsáveis pela identidade dos diversos grupos existentes. Linton descreve: “Sociedade é todo grupo de pessoas que vivem e trabalham juntas durante um período de tempo suficientemente longo para se organizarem e para se considerarem como formadores de uma unidade social, com limites bem definidos”. E acrescenta: A sociedade é um grupo de indivíduos, biologicamente distintos e autônomos, que pelas suas acomodações psicológicas e de comportamento se tornaram necessários uns aos outros, sem eliminar sua individualidade. Toda vida em sociedade é um compromisso e tem a indeterminação e a instabilidade própria das situações desta natureza”. Entendemos, portanto, que a sociedade se correlaciona com a história, porque esta se constrói por impulsos tendenciosamente humanos, e ainda, será sempre um pólo representativo da cultura, mesmo porque, sabidamente, a cultura nada mais é, senão o resultado da evolução social obtida pelas ações humanas sobre a natureza existente. Daí porque, podemos até atrelar um conceito prévio de desenvolvimento social, como sendo a arte humana erigida em prol da sobrevivência amparada e assistida pelos demais. Posto que, o homem como animal humano, racional e dinâmico conseguiu, desde logo, verificar que para ele seria impossível subsistir sem a sociedade, não só por anseio de ser parte integrante do todo, mas, principalmente, por consciência de suas fragilidades. 6.3 Visão do conhecimento e da Educação O conhecimento é inerente a qualquer área de atuação do ser humano; assim, existem os mais diversos conhecimentos possíveis: o conhecimento científico que se constitui na construção de teorias, modelo, representações, através de uma metodologia específica sintetizado no método científico e o conhecimento baseado no senso comum, que se traduz em mitos, lendas e manifestações populares. Cada um tem validade por diferentes bases, seja na ciência, na fé, na cultura ou na estética. Porém, o conhecimento não é acúmulo de informações, mas sim competência para ação. De acordo com Piaget, o conhecimento é uma construção contínua do saber, que se dá através das interações do indivíduo com o meio social ao longo de sua existência. Considerando os princípios e fins que regem a educação nacional, conforme explicitado pela LDB nº. 9394/96, que se fundamentam nos princípios de “liberdade e nos ideais de solidariedade humana” voltados para o “pleno desenvolvimento do educando e preparo para a cidadania e qualificação para o trabalho”, a Escola Arte é Saber, como instituição de educação básica frente às finalidades sociais, políticas, culturais e formativas que a escola deve realizar, visto ser a mesma o espaço privilegiado de transmissão do patrimônio cultural da humanidade, tem na organização do trabalho escolar e nas práticas escolares que internamente se realizam na escola os elementos fundamentais à inserção e interação do indivíduo com a sociedade. De acordo com Paulo Freire: “Não haveria educação se o homem fosse um ser acabado (...). A educação implica uma busca realizada por um sujeito que é o homem. O homem deve ser sujeito da sua própria educação. Não pode ser o objeto dela” (1981:17). Para tanto a concepção presente nas diretrizes desta proposta pedagógica se alicerçam nos fundamentos e princípios orientadores das diretrizes curriculares nacionais para a educação básica: a) na estética: criatividade, respeito à qualidade, e reconhecimento da diversidade de manifestações artísticas e culturais, entre outros aspectos; b) na política: reconhecimento dos direitos humanos, dos direitos e deveres da cidadania e do direito de todos a uma educação de qualidade; c) na ética: autonomia, responsabilidade, solidariedade, e respeito aos valores humanos e ao bem comum. Além das questões explicitadas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica, a proposta está embasada ainda nas dimensões do trabalho coletivo e do planejamento participativo, sendo fruto do trabalho coletivo concebido e elaborado pela equipe escolar sob a coordenação da direção em articulação com os demais segmentos escolares e assume as seguintes características: a) Está centrado nos alunos visando a melhoria do seu processo de aprendizagem e de seus resultados de modo a assegurar a permanência e o sucesso na escola; b) Considera os alunos em seu contexto real de vida, buscando fortalecer as relações da escola com a família e articular as atividades escolares ao contexto e a realidade local; c) Favorece a criação e a realização de atividades de estudos e reflexão para que os funcionários e corpo docente da escola se desenvolvam profissionalmente, fortalecendo, por assim dizer, a escola como instância de formação; d) Interfere na articulação do currículo, na organização do tempo e dos espaços escolares para garantir qualitativamente o trabalho pedagógico. Com base nesses pressupostos a proposta se fundamenta ainda no reconhecimento de que o conhecimento é produção histórica e social, ocorrendo sempre em situações contextualizadas e sob as interações de diferentes sujeitos sociais, ou seja, ocorre sempre de forma intermediada. Nessa perspectiva reforça-se a noção de que o conhecimento não é produção isolada, particular e individual, isto é, ele ocorre sempre em situação e em parceria num processo de mediação social. Assim sendo, no caso específico da aprendizagem trabalha-se com a compreensão de que a mesma ocorre a partir das diferentes situações e relações vivenciadas no contexto intra e extraescolar, possibilitando a aquisição do conhecimento a partir da transmissão dos diferentes saberes veiculados pela instituição escolar. Na questão específica das aprendizagens adquiridas e construídas a partir da inserção no processo formal de escolarização é imperioso que o trabalho escolar esteja assentado na interação social, isto é, na relação dinâmica e dialógica que o sujeito que conhece estabelece com o objeto a ser conhecido cujo processo se realiza em presença de diferentes atores sociais (professor e aluno), sob as influências do contexto externo e pela mediação do ambiente interno da instituição escolar. Por ser um processo formal e que se realizam a partir de determinados objetivos, valores e intencionalidades, o mesmo deve provocar mudanças nas práticas já instituídas ao passo que deve contribuir significativamente para instituir uma nova ordem valor ativa e cognitiva pelos sujeitos em ação, visto que, na dinâmica da relação sujeito/objeto é gerado novo significado à aprendizagem dando-se um novo sentido as relações que vão sendo construídas sociais e historicamente falando. A educação como prática humana e social é uma construção contínua. Assim, o processo de aquisição e construção de novos conhecimentos deve levar o indivíduo a desempenhar seu papel social na sociedade com competência, habilidades e responsabilidade. Nos limites internos da ação escolar da escola, o saber-fazer, o saber ouvir e o saber- se constituem aspectos que estão intimamente interligados dados à natureza do trabalho escolar e da formação que a escola objetiva realizar. Se por um lado à transmissão do saber historicamente acumulado se faz de forma repetida, rotineira e sequenciada, permitindo em determinadas ocasiões à reprodução de práticas e valores, por outro, o processo de conversão do conhecimento científico em saber escolar de maneira formal e institucionalizada que ocorre na escola, permite a apropriação de forma singular do conhecimento, visto ser a escola a instituição da sociedade a quem compete trabalhar essas questões no plano das exigências formativas e culturais. Pensando que o processo de aquisição do saber escolar embora seja realizado numa instituição social que é escola, tal processo ocorre de maneira também bastante particular e distinta entre os diferentes sujeitos envolvidos e inseridos no processo, trazendo em seu bojo a influência de múltiplas determinações e a alegria de acessar o novo e produzir diferentes descobertas. Além de ser uma experiência singular de cada sujeito, o processo de aquisição do saber escolar e a evolução individual na trajetória e carreira escolar é um processo amplo e complexo que se inscreve no campo da cultura e da cidadania. 6.4 Princípios I - Éticos: de justiça, solidariedade, liberdade e autonomia; de respeito à dignidade da pessoa humana e de compromisso com a promoção do bem de todos, contribuindo para combater e eliminar quaisquer manifestações de preconceito de origem, gênero, etnia, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação; II - Políticos: de reconhecimento dos direitos e deveres de cidadania, de respeito ao bem comum e à preservação do regime democrático e dos recursos ambientais; da busca da equidade e da exigência de diversidade de tratamento para assegurar a igualdade de direitos entre os alunos que apresentam diferentes necessidades; III - Estéticos: do cultivo da sensibilidade juntamente com o da racionalidade; do enriquecimento das formas de expressão e do exercício da criatividade; da valorização das diferentes manifestações culturais, especialmente, a da cultura brasileira e da construção de identidades plurais e solidárias. Na Educação Básica, as dimensões inseparáveis do educar e do cuidar deverão ser consideradas no desenvolvimento das ações pedagógicas, buscando recuperar, para a função social desse nível da educação, a sua centralidade, que é o educando. 


7. OBJETIVOS GERAL - Proporcionar condições para que os educandos desenvolvam-se de forma responsável e autônoma, adquirindo habilidades e competências para que possam influenciar a sua realidade, garantindo-lhes o acesso, a permanência e o sucesso escolar, o desenvolvimento de suas capacidades, respeitando seus talentos, necessidades, potencialidades, orientado para o exercício da cidadania.


Hoje, a Escola Arte é Saber possui um total de 139 alunos.


Qual a metodologia de ensino da Escola Arte é Saber?

Interacionista, Construtivista

A metodologia é um conjunto de métodos e práticas adotados pela escola no processo de ensino e aprendizagem do aluno.

Qual a estrutura da Escola Arte é Saber?

A Escola Arte é Saber oferece toda a estrutura necessária para o conforto e desenvolvimento educacional dos seus alunos, como por exemplo: Banda Larga, Parque Infantil, Biblioteca, Quadra Esportiva Coberta, Laboratório de Ciência, Laboratório de Informática, Pátio Coberto, Pátio Descoberto, Sala do Professor e Internet.


A Escola Arte é Saber é bem avaliada?

A Escola Arte é Saber é muito bem avaliada pelos pais, alunos e funcionários da instituição, reflexo do comprometimento com um ensino de qualidade que a escola oferece.

Veja abaixo a nota geral e os depoimentos

Avaliação Geral
  • 5.0 Motivação dos estudantes

  • 5.0 Estrutura física da escola

  • 4.9 Participação da comunidade

  • 5.0 Desenvolvimento Socioemocional

Caroline Lopes

Ex-aluno

17/03/2019

"Melhor escola da Ilha, com professores excelentes e ambiente muito acolhedor."

Ver mais

  • 5.0 Participação da comunidade

  • 5.0 Estrutura física da escola

  • 5.0 Desenvolvimento Socioemocional

  • 5.0 Motivação dos estudantes

Ana

Pai/Mãe

17/03/2019

"Escola excelente!! Meu filho melhorou muito nesses dois anos."

Ver mais

  • 5.0 Participação da comunidade

  • 5.0 Estrutura física da escola

  • 5.0 Desenvolvimento Socioemocional

  • 5.0 Motivação dos estudantes

Ver todas as 8 avaliações

Fique por dentro das melhores bolsas na sua cidade.

Nome completo
E-mail
Celular

Cadastre o seu interesse para te avisarmos quando ela estiver disponível.


Qual o endereço da Escola Arte é Saber?

A Escola Arte é Saber se localiza em: Rua Da Rodagem, S/N- Tairu, Vera Cruz - Bahia. As informações de contato se encontram abaixo.