Como ajudar no período de adaptação escolar

Como ajudar no período de adaptação escolar


Crises de choro na porta da escola, relutância em frequentar as aulas, tristeza e apatia a respeito de tudo o que se relaciona com o ambiente de aprendizagem… Essas podem ser algumas características típicas da fase de adaptação escolar, que é comum ser uma fase difícil na vida tanto das crianças quanto dos pais, e um grande desafio inclusive para a escola. 


Vale lembrar que a adaptação escolar não acontece apenas na primeira etapa de ensino, mas também pode ser necessária em mudanças de escola ou até mesmo de série, ou seja, de um ano para o outro. Segundo a psicóloga Yasmine Hernandes David João, no site Banda B, “A adaptação escolar é um processo natural da construção de vínculos entre a criança, a família e a escola”.


A fase é difícil por causar uma mudança muito grande na rotina da criança, e mudanças exigem um período de adaptação. Da parte dos pais, é importante haver compreensão e paciência para lidar com a situação. 


Como ajudar?


Uma boa sugestão é levar a criança até a nova escola e mostrá-la o local que em breve fará parte de sua vida. É importante que ela conheça o ambiente para que quando chegar o dia, esteja um pouco mais familiarizada com o espaço.


Uma maneira de ajudar a tornar a ideia de estudos positiva, e com isso tornar a adaptação um período mais fácil é incluir a criança no processo. Por exemplo, levá-la junto para comprar o material escolar ou uniforme. Durante essa tarefa, é preciso se atentar para não deixá-la ansiosa com relação à escola. 


Outra boa forma de ajudar nesse processo é fazer com que a criança tenha uma boa impressão da escola e a veja como um bom lugar. Para isso, é importante que o colégio não seja associado a um castigo ou algo ruim. 


Para ajudar nesse período também é necessário evitar alguns erros e comportamentos que podem refletir de maneira negativa na adaptação escolar.


Um exemplo de comportamento a ser evitado é deixar o filho na escola sem se despedir. A psicóloga afirma “Sair escondido acreditando que será melhor para a criança, não é uma boa estratégia. Mesmo que a criança chore, os pais devem se despedir e tentar sair naturalmente”. Ela afirma ainda que é preciso ser transparente com os pequenos: “As crianças não devem ser enganadas, de forma a acreditar que vão a um determinado lugar, e não à escola”.


Já na hora da volta, é preciso ser pontual: atrasar e deixar a criança esperando pode causar uma sensação ruim, uma vez que pode fazer com que ela se sinta abandonada. Por isso, é importante que os pais estejam presentes no horário de saída e ainda se mostrem atentos para ouvir o que o filho tem a dizer a respeito da escola e das atividades desenvolvidas durante o dia.


A verdade é que o bom diálogo e a comunicação com o pequeno ajudará grande parte do processo de adaptação escolar e impactará de maneira positiva a experiência educacional da criança.


Veja também: A importância do empreendedorismo na infância