Vale a pena oferecer recompensa aos filhos?

Vale a pena oferecer recompensa aos filhos?


Muitos pais recorrem ao uso de recompensas e prêmios para os filhos quando realizam alguma atividade ou quando eles tem um bom comportamento. Por exemplo, um brinquedo em troca de uma boa nota ou um doce em troca de organização no quarto. Essa prática, por mais bem intencionada que seja, pode impactar diretamente no desenvolvimento das crianças.


Alfie Kohn, escritor e palestrante americano nas áreas de educação, paternidade/maternidade e comportamento humano, é autor do livro Punidos Pelas Recompensas, 1998, e  crítica a educação baseada em castigos e/ou recompensas. Segundo ele, os pais devem se preocupar menos em “como fazer meu filho agir como quero?” e se perguntarem mais “do que meu filho precisa e como posso ajudá-lo?”


Recompensar pelas atividades ou comportamento da criança pode causar a falsa sensação de que os pais estão fazendo a coisa certa, uma vez que é feito em acordo e é estabelecida, em muitos casos, uma espécie de cumplicidade entre pai e filho. No entanto, essa prática não é adequada, visto que ela pode aprender que para toda obrigação que ela tiver, receberá uma recompensa para realizá-la. 


O problema se dá pelo fato da criança deixar de enxergar a atividade em si e passar a encará-la como uma forma de receber algo que ela deseja. Hábitos de higiene pessoal ou do ambiente em que ela vive são deveres que a trazem benefícios, mas as crianças deixam de ver isso quando passam a receber recompensas para realizar essas atividades. Por exemplo, se ela for recompensada por arrumar a sua cama, ela voltará a sua atenção para a recompensa, e irá ignorar o fato de que ela agora tornou o seu quarto um ambiente mais organizado. Isso também prejudica o seu senso de responsabilidade e autonomia.


As recompensas podem torná-las materialistas e consumistas, uma vez que aprendem a valorizar o material e não recebem estímulo para valorizarem outras coisas, como o diálogo e o companheirismo com os pais. Com a recompensa, o foco da atividade dá lugar ao objeto de interesse.


É preciso que os pais mantenham um bom diálogo com os filhos e vale lembrar que elogios são sempre bem-vindos, por mais que as atividades sejam exigidas das crianças, o elogio às mantêm motivadas e as incentivam da maneira correta.



Veja também: Palavras de incentivo: use sem moderação




 Publicidade: