Menu fechado

Como melhorar a experiência dos alunos no EAD

experiência dos alunos no ensino a distância

A situação atual de fechamento das escolas devido à pandemia do coronavírus deixou algumas instituições com muitas dúvidas em relação à implementação de aulas on-line, muitas vezes, sem qualquer tipo de planejamento prévio. Com esse texto, queremos ajudar a gestão escolar a implementar práticas de como melhorar a experiência dos alunos no ensino à distância.

Qualquer gestor escolar sabe que a mudança de aulas do modelo tradicional para um modelo remoto envolve planejamento de longo prazo, realocação de recursos, desenvolvimento profissional dos docentes e acesso igualitário a dispositivos tecnológicos por parte dos estudantes. Mas então, por onde começar?

Leia também:

+ Volta às aulas presenciais: realidade distante

Ainda que existam resistências e a maioria dos docentes esteja aprendendo a gerir processos de ensino à distância, formatos on-line ou híbridos se apresentam como uma das melhores alternativas para transformar a defasagem educacional de um país de proporções continentais como o Brasil. 

Desenvolvemos este artigo com o intuito de nortear escolas a explorar novas aplicações no ensino à distância, além de aperfeiçoar o desenvolvimento dos estudantes nesta nova realidade.

Marketing Digital

1. Centralize a aprendizagem no aluno

Para garantir uma aprendizagem mais impactante sem a presença física do professor em sala de aula, a abordagem precisa ser personalizada e centrada no aluno. Com isso, os professores conseguem transformar os alunos em protagonistas da sua própria jornada de aprendizagem, tendo mais opções e poder de escolha sobre o formato, linguagem, hora e local de suas lições. 

Sem as restrições da presença física, é possível oferecer mais independência de horário até na monitoria escolar, através da monitoria digital, por exemplo. 

Neste modelo, o conteúdo de sala de aula é reforçado com apoio para dúvidas ou aprofundamento a qualquer momento que o questionamento do aluno surgir, sem precisar marcar hora. Este atendimento é mediado por tutores qualificados para cada matéria, garantindo a boa experiência dos alunos, permitindo que eles tenham mais controle sobre seu aprendizado e diminuindo as barreiras quando o próprio não entende algum tópico da matéria.

2. Prepare os alunos para a experiência de aprendizagem

Muitos estudantes, apesar de serem classificados como nativos digitais, não estão acostumados com aulas à distância. É importante que eles tenham familiaridade com as plataformas utilizadas e tenham noção de todo o potencial a ser explorado dos conteúdos que a gestão da escola preparou.

Além disso, sugerimos que os gestores escolares estejam atentos às demandas da classe do ponto de vista de sobrecarga de trabalho, uma vez que o cenário de pandemia e estudos em casa pode afetar diretamente o rendimento do aluno.

Ademais, é importante que os alunos tenham clareza das principais diferenças entre as aulas à distância e presenciais. Para garantir o comprometimento da turma, é importante preparar algumas dicas de gerenciamento de tempo, como estabelecer metas, planejamento com prazos e priorização do trabalho. 

3. Mantenha a presença ativa do professor

Diferentemente do ensino presencial, onde o aluno integra um grupo social automaticamente, o ambiente de aprendizagem on-line pode produzir sentimentos de solidão. Por esta razão, é importante que os professores se demonstrem presentes para conversar com os alunos, além de se disponibilizar para atendimentos individuais.

Além de melhor a experiência dos alunos, a comunicação se torna muito mais importante para entender suas principais dificuldades e potencialidades. É importante monitorar a presença e o engajamento de cada aluno para entender o aproveitamento e tomar ações para prevenir que ninguém fique para trás ou seja lesado em relação ao planejamento de conteúdo. 

4. Construa uma comunidade de aprendizagem

Construir uma comunidade on-line para simular as comunidades que formariam no ambiente presencial pode aumentar o engajamento dos alunos com o conteúdo e tarefas apresentadas, além de ajudar a formação de grupos de trabalho. 

O engajamento aumenta quando o aluno se sente pertencente, parte de algo maior. Ademais, as comunidades formadas facilitam o aprendizado social, gerando discussões elaboradas sobre conceitos aprendidos no ambiente da aula.

5. Entregue conteúdos menores e mais frequentes

As novas tecnologias abrem espaço para abordagens inovadoras de ensino, sendo um exemplo a microaprendizagem, facilitada pelo aprendizado mobile. Nesta abordagem, o professor prepara o conteúdo em segmentos curtos, que podem ser consumidos em alguns minutos de forma assíncrona.

Ao invés de explicar todo o conteúdo em um encontro, o professor pode optar por fazer pequenas inserções de conteúdo ao longo da semana em preparação para o conteúdo ou prática na aula virtual. Com tarefas menores, o engajamento dos alunos aumenta pois a exaustão mental é evitada.

6. Encoraje a participação ativa dos estudantes

A melhor forma de aprender é praticando. Uma boa forma de fazer isso é através da aplicação de conceitos de sala de aula invertida, onde os alunos aprendem com vídeos gravados pelos próprios professores ou através de conteúdos pequenos como a microaprendizagem. Dessa forma, os encontros ao vivo são reservados para uma aplicação mais prática. 

A prática pode ocorrer de várias formas, como por exemplo:

  • Participação de grupos de discussão e debates on-line mediados pelo professor;
  • Proposta de projetos em grupos, aplicando técnicas de aprendizagem baseada em projetos;
  • Apresentação de problemas, podendo dividir a turma em grupos e conceder um tempo os grupos pensarem possíveis soluções. Posteriormente, as ideias de solução são apresentadas e discutidas com o resto da turma.

7. Encontre um espaço para diversão

Os estudantes precisam estar estimulados para aprender, porém em época de quarentena o engajamento nem sempre pode vir facilmente. Uma boa ideia para isso é propor atividades para “aquecer os motores” da turma antes de começar as aulas. 

Uma atividade de aquecimento é uma boa ideia pois pode definir o tom da aula. Uma atividade divertida é capaz de aumentar os níveis de energia e incentivar os alunos a participarem mais ativamente.

Um bom exemplo de atividade é o desafio da foto. Mostre aos alunos uma foto interessante, instigante e que os faça pensar. Pode estar relacionado ao conteúdo que você está prestes a discutir e pode trazer alguma questão intrigante. Então, peça aos alunos que comentem e descrevam o que estão vendo. Eles podem compartilhar seus pensamentos e sentimentos com a turma e trocar visões diferentes, já iniciando o processo de pensamento para além da sala de aula.

Fonte: Esse artigo foi escrito pelo TutorMundi, uma plataforma que conecta estudantes com tutores das melhores universidades do país em 5 minutos, 24 horas por dia 7 dias por semana. Leia mais conteúdos como esse clicando aqui.

Publicado em:Ensino a distância
Post relacionado
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *